segunda-feira, 5 de maio de 2008

Espiritualidade Quântica

Enquanto na maioria das universidades o Centro ou Diretório Acadêmico está mais preocupado com atuação político-partidária ou com invadir a reitoria, na Unifesp o Diretório Central dos Estudantes tem um Departamento de Cultura Científica (DCC). Ótima notícia. Cultura Científica é um assunto no qual temos sérias deficiências e por isso as pseudo-ciências ocupam um espaço tão importante.
No entanto, provavelmente levado pela ingenuidade e inexperiência, o DCC está se deixando seduzir por atividades que promovem a pseudo-ciência e a anti-cultura científica.
O DCC está promovendo de 4 a 7 de junho próximos na Unifesp o II Simpósio e V Congresso Nacional Universitário de Saúde e Espiritualidade. O evento é apoiado entre outros pelo NUSE - Núcleo Universitário de Saúde e Espiritualidade da Unifesp e pela AME - Associação Médica Espírita. Ele começa com o Simpósio "A saúde sob a visão do paradigma quântico" e continua com o Congresso "A Interface entre a Mente, o Cérebro e a Espiritualidade". Neste post concentro-me no Simpósio, mas não posso deixar de mencionar uma das palestras do Congresso: "Achados das Neurociências sobre os Estados de Consciência Ampliados: prece, caridade, meditação, transe, glossolalia e hipnose" . Certamente o palestrante Dr. Júlio Peres discorrerá sobre a célebre fraude ocorrida na Columbia University em 2001. Uma equipe incluindo o obstetra nascido no Brasil Dr. Rogério Lobo conseguiu burlar o sistema de revisão por pares (ver post anterior. Eu avisei que o processo não é infalível!) da prestigiada Journal of Reproductive Medicine e publicou um estudo indicando que rezar por alguém dobrava as chances de sucesso de procedimentos de fertilização in vitro desse alguém, o que na época chamou a atenção da literatura especializada. Resultado extraordinário, que merecia uma comprovação extraordinária. Em lugar disso uma fraude nos dados foi descoberta. O resultado verdadeiro (que provavelmente será enfatizado pelo Dr. Peres) é que preces têm pouca ou nenhuma influência a saúde, e essa influência é negativa. Em 2004 os nomes do Dr. Lobo e da Columbia University foram excluídos do artigo em circunstâncias nunca satisfatoriamente esclarecidas quando outro autor foi condenado a 5 anos de prisão por fraude financeira.
Melhor falar sobre o Simpósio, mais próximo de minha área de formação. Após uma apresentação artística (ótima maneira de abrir um simpósio, em lugar das enfadonhas palestras de abertura), teremos a palestra "Correlações entre Saúde, Física Quântica e Espiritualidade" pelo Dr. Fábio Nasri. Uma consulta ao Google Acadêmico revela que infelizmente nenhum de seus artigos trata desse assunto. Pena, pois eu fiquei curiosíssimo com o título da palestra. Será que as correlações de que ele fala têm a ver com a coerência da função de onda da Física Quântica? E a espiritualidade sofre efeitos de difração como os elétrons?
A próxima palestra é ainda melhor. "O Espírito sob o ponto de vista da Mecânica Quântica", proferida pelo Prof. Dr. Wladimyr Sanchez. Dessa vez o Google Acadêmico revela o perfil de um engenheiro hidráulico especialista em saneamento com 26 publicações em português e uma em inglês. Pelo Google é possível descobrir que ele é o presidente do Instituto de Pesquisa e Ensino de Cultura Espírita (IPECE) , autor de pelo menos 5 livros sobre espiritismo. Mais impressionante, ele é físico formado pela USP, engenheiro mecânico formado pela Universidade Mackenzie, engenheiro nuclear, formado em Oak Ridge, USA, engenheiro civil, pela UNESP. É Mestre e Doutor em Ciências, pela USP e PhD em Gerenciamento de Recursos Hídricos, pelo MIT, USA. Uau.
Como será a mecânica quântica dos espíritos? Difícil saber, mas podemos especular. Os espíritos apresentam várias propriedades quânticas. Por exemplo, o hábito de aparecer e desaparecer pode ser interpretado como o colapso da função de onda no momento de uma medida (sobre medidas em Mecânica Quântica, ver o post sobre Amit Goswami) . Os espíritos têm sua função de onda confinada a castelos, que podem ser pensados como poços de potencial e podemos até estimar a probabilidade de o espírito escapar por tunelamento e aparecer em outro lugar. Dado o tamanho típico de um castelo pode-se estimar a incerteza no momento espiritual, e por aí vai. Estou propositadamente fazendo uma confusão conceitual entre espíritos e mecânica quântica. A mecânica quântica não se aplica ao estudo de espíritos, pelo simples motivo que espíritos não são entidades físicas.
O simpósio continua com "Fisiologia Transdimensional" por Dr. Décio Iandoli Jr. (para sair da pseudo-mecânica quântica e entrar na pseudo-relatividade) e depois segue com "O uso do Pensamento Quântico para a Saúde integral" pelo meu xará Dr. Leandro Romani de Oliveira, que provavelmente explicará o que significa "pensamento quântico". É um conceito que não faz parte dos paradigmas da mecânica quântica.
Esse pessoal provavelmente andou assistindo "Quem somos nós?", o docudrama místico-quântico ou "O Segredo". A maioria deles, senão todos, é de alguma forma ligada ao espiritismo ou a entidades espíritas. É possível ver fotos de vários na página do I British Congress on Medicine and Spirituality, curiosamente hospedado no site da AME brasileira.
Não há nada de errado na existência de congressos e simpósios como esse. No entanto, a UNIFESP não deveria abrir espaço para esse tipo de atividade. Ciência e espiritismo são coisas diferentes. A UNIFESP é conhecida e respeitada pelo alto padrão da ciência lá produzida e não deveria emprestar essa credibilidade a atividades mistificadoras que só criam confusões conceituais e pseudo-ciência. Assim como os cientistas não devem ir aos templos espíritas para colocar em dúvida as crenças dos espíritas, os espíritas não devem tentar confundir suas crenças com ciência, que elas não são.

16 comentários:

Anônimo disse...

Fico triste em ler tal comentário sobre estes eventos promovidos na Unifesp tão importnte. Infelizmente as pessoas ainda desconhecem as descobertas encontradas nas pesquisas nesta área tão científica quanto a medicina tradicional. É normal encontrarmos pessoas reseosas quanto ocorre a quebra e o surgimento de novos paradigmas. Mas fica uma sugestão: busque ler, conversar com os pesquisadores e a ir neste eventos. O senhor descubrirá muita coisa que nem fazia idéia! Acredite: esse campo de pesquisa da Física quântica, saúde e espiritualidade tem muito a acrescentar no conhecimento científico e ajudar a completar aquilo que a medicina tracional não tem como explicar. Além disso, a ciência não é única, ou seja, não existe uma única verdade, o que existe são várias verdades que se complementam e nos auxiliam a avançar e é por isso que desenvolvemos e chegamos diante tantas descobertas e assim tantas vidas foram possíveis de serem salvas.

catia r. silva disse...

Achei excelnte esta postagem, como espírita, seguidora e estudante da doutrina também não concordo com esta mistura de conceitos, que acredito, ocorra por ser o espiritismo a unica doutrina religiosa que se propõe a explicar como ocorrem os fenômenos físicos como materialização, irradiação de passes, movimentação de objetos enfim. No Livro "as Noures" existem várias explicações baseadas em conceitos físicos para manifestações espirituais, porém o objetivo é sempre o maior entendimento da doutrina e na propagação da mesma como ciencia, quanto melhor o peesoa puder entender os efeitos de um passe magnético, transformação de atuitudes maentais maiores serão as possibilidades de evolução, sabedoria e consequentemente auxílio ao próximo.
O espiritismo é uma doutrina baseada em estudos, conhecimento, explicações em prol da evolução do ser humano e não um estudo científico pois assim a proposta se transformaria em oportunismo sem sentido.
Gostei mujito deste post, parabéns

Anônimo disse...

Eu li comentário de cátia r. silva e achei interessante seu comentário e fiquei intrigada com sua afirmação de que "estes conceitos não devem se mistuar." Que eu saiba, Kardek sempre deixou bem claro em todas as suas obras que a ciência explicaria tais fenômenos e que se deve acompanhá-la. Afinal, pelo que fiquei sabendo, ele era um cientista que investigou e compilou o que descobriu em sua época acerca dos fenônemos. O Kardecismo é uma doutrina científica, é um sistema de idéias. A ciência só tem a contribuir com esses estudos iniciados por ele. Hoje a ciência está em condições de conseguir explicar um série de coisas e isso é muito bom! Só nos fará crescer. Conforme formos evoluindo o que não fazia sentido passa a ser compreendido e deixa de ser visto como uma simples crença.

Anônimo disse...

Caro escritor deste blog...você é um idiota e infelizmente sem voz, pois somente agora vi seu comentário estúpido sobre este grande simpósio que ocorreu na UNIFESP...é uma pena que você não tenha ido, senão você enfim aprenderia o que é Física Quântica...
Mas aproveitando....estude mais...

Leandro R. Tessler disse...

Eu hesitei um pouco antes de publicar o comentário anônimo anterior para manter um certo padrão neste blog. No entanto, acho que é sempre instrutivo mostrar o nível dos que militam pela anti-cultura científica.

Leandro

PS: Não preciso participar de um evento pseudo-científico para entender Mecânica Quântica.

iandolijr disse...

Caro Leandro

Eu sou o Décio Iandoli que falou no simpósio sobre fisiologia transdimensional. Não me considero um cientista, apesar do meu doutorado em medicina, pois não tenho artigos publicados em revistas internacionais e nem tenho um CV que me credencie nos meios acadêmicos estabelecidos.
Li a postagem e respeito sua posição, porém, creio que para emitir opinião é necessário conhecer o conteúdo.
Percebo sua segurança em seus conhecimentos científicos e creio que eles te credenciam a uma avaliação que contribua para que não se faça "pseudo-ciência" dentro de universidades importantes como a UNIFESP, acho mesmo que esta é uma tarefa para pessoas como você, que estariam isentas de ligações religiosas, mas que, por outro lado, não podem cultivar preconceitos.
Só tenho a te pedir que antes de atacar, conheça, avalie e depois então critique, não se contente com o que vai no google.
Muito obrigado pela oportunidade e pela colaboração que deu ao debate de bom nível quanto a questões ainda tão polêmicas.
Quero garantir-lhe que não tenho nenhuma intenção de enganar ou convencer ninguém, por isso mesmo valorizo seu posicionamento, mas queria muito ler seu comentário após você ter assistido o seminário, pois este sim teria um valor muito grande para mim, uma crítica objetiva e não preconceituosa; principalmente quando estamos iniciando intercâmbios com universidades americanas, com grupos ingleses de pesquisa, não quero ser um vetor de "bobagens" fantasiosas, mas de discussões sobre possibilidades de estudo.
Espero que tenha podido passar meu posicionamento sem tê-lo agredido, mas dê uma chance ao novo, que ainda claudica e que ainda erra muito, mas que têm o valor do desejo de conhecer e evoluir (não é esta a essência da ciência?)

Um grande abraço
PS: Espero vê-lo em um próximo evento para podermos conversar pessoalmente, eu gostaria muito disso

Décio Iandoli Jr.

Leandro R. Tessler disse...

Caro Décio,

Muito obrigado por seu comentário.

Ele devolve a esperança de ter conversas civilizadas com pessoas que defendem posições diferentes da minha. A maior parte dos comentários que recebi neste tópico são absolutamente ofensivos e desrespeitosos, contendo inclusive ameaças. Realmente não consigo entender o que faz as pessoas agirem assim além de fanatismo e insegurança.

Quero deixar muito claro que tenho o maior respeito pelas pessoas que têm crenças e pelas crenças das pessoas. Desejo para minhas filhas um mundo melhor onde cada um tenha assegurado o direito de ter sua crença e que ninguém corra risco nenhum por isso, inclusive aqueles que não têm crença alguma.

É preciso não perder de vista qual o objetivo deste blog e dos artigos que escrevo: difundir e discutir a cultura científica.

A origem do método científico pode ser traçada ao renascimento. A humanidade levou muito tempo para desenvolver uma metodologia que permite obtermos informações e modelos sobre a natureza que nos cerca. Isso deu origem a uma nova maneira de entendermos o universo e mesmo tirar proveito da natureza. É graças ao método científico que podemos separar resultados verdadeiros daqueles que nossa percepção cria sem perceber. Observar e entender estruturas, se por um lado permite que apreciemos a música, por outro pode fazer com que encontremos relações onde elas não existem.

As religiões violam o método científico na medida em que propõem um modelo para o universo a priori. Esse modelo, no caso das religiões monoteístas ocidentais, começa com o divino e sagrado que não pode ser contestado. Isso está tão arraigado que pessoas se ofendem e sentem-se ameaçadas caso alguém o coloque em dúvida. Testar modelos é uma das componentes fundamentais para o desenvolvimento do conhecimento científico.

É por isso que me incomodo quando posições religiosas buscam legitimar-se pelo método científico, especialmente no espaço reservado pela nossa cultura ao desenvolvimento da ciência, a universidade. Eu não seria um crítico das atividades de vocês se elas ocorressem num espaço explicitamente religioso. Na universidade parace-me uma legitimação inapropriada de idéias que não se submetem (nem devem submeter-se) ao teste científico.

A religião não precisa misturar-se à ciência. Ambas perdem quando com isso acontece. Mecânica quântica, relatividade, etc. são assuntos sério. Quem entende sua formulação sabe que isso não tem nada a ver com espiritualidade.

Da mesma forma nós cientistas não devemos sair atacando e colocando crenças religiosas a prova, os religiosos não devem buscar legitimar suas crenças apropriando-se de conceitos que não entendem muito bem.

Qualquer dia nos encontramos e conversamos sobre esses e outros assuntos.

cátia r. silva disse...

Em resposta á pessoa anônima:

reafirmo que a doutrina kardecista não deva se misturar à ciência. Como vc lembrou através da ciência a doutrina terá a possibilidade de ser compreendida e legitimada. No entanto o kardecismo não ser propõe a ser propagado como ciencia, mas sim como um estudo que pode ser comprovado, pois existem explicações (como já mencionei) para os irradiações de energia, materializações ectoplasmáticas, mediunidade etc.]
Como vc falou, a evolução, o conhecimento, o pensamento moderno desta doutrina é que a tornam praticamente inquestonável!

Marcia de Paula disse...

Em resumo: ciência e religião nunca deram certas juntas!! =)

M.

Anônimo disse...

O observador sendo ao mesmo tempo o objecto observado nunca poderá usar o método cientifico. E porquê ? Por isso mesmo.

É por isso que nunca provará a espiritualidade.

Tal como nunca foi provado a existência de vida. Porque nunca dela foi encontrada uma definição cientifica cabal.


É bom que continue a especular e a contradizer artigos e textos etc.

Não se deixe levar por aquilo que lhe dizem. Procure saber. Saber sempre e sempre mais.

No limite nada saberá, porque o conhecimento é superior à sua capacidade cognitiva.


E não conseguindo provar o que sente com base no método cientifico por falta de capacidade, acabará por ter necessidade de controlar essa frustração.

Mas nesse processo irá descobrir que o sentimento é tão importante quanto a razão.


Não me prove o que sente relativamente ao tema abordado. Até porque nunca poderá provar sentimentos.
Mas eu senti as suas palavras.
São de que procura.
Procure.

IVO BITENCOURT disse...

A ciencia teve seu iníco separando-se das crenças religiosas e assim se desenvolveu. Os pré socráticos dispensaram as explicações dos deuses e mitos sobre a criação do mundo e da natureza, e passaram a usar a razão para saber do quê se compôe a physes. No estágio atual da nova ciência a espiritualidade passou a ser objeto de estudo como um fenômeno Quântico da psique humana. Por isso ja antevejo uma Teologia Quântica, depurada dos mitos,lendas,dogmas e doutrinas da tradição mística. Eis aqui uma amostra. A ESPIRITUALIDADE PLENA DE LUZ


A espiritualidade é uma manifestação da realidade espiritual do ser humano. A consciência espiritual começou a despertar na mente humana , já no homem de Neandertal, que enterrava seus mortos com reverência e algum ritual, por acreditar na continuação da vida espiritual.
Por paradoxal que pareça, para entendermos a espiritualidade humana é bom seguirmos os passos do progresso da ciência, que reduzindo a matéria nos seus elementos chegou à anti-matéria ou vácuo quântico, substância escura , sem massa que pervade mais de 90% do cosmo observável.É o fundo imóvel de energias em equilíbrio que quando vibra cria matéria e consciência cognitiva, é a causa em potência que se transforma em ato. "Aristóteles".
Todo o universo material, inclusive o homem, provem de um processo organizacional ascendente, da não matéria para partículas, átomos, moléculas, e células neurais.... Portanto podemos identificar essa não matéria como um oceano espiritual no qual estamos submersos e em contato permanente, célula por célula.
Interagimos constantemente com esse "Uno" espiritual através da nossa mente nos seus três níveis de consciência: espiritual, emocional e racional.
O nível racional ou consciente é o mais recente desenvolvimento dos humanos, tem sua estrutura neural no córtex cerebral com conexões em série, o pensamento é processado por ondas cerebrais que são interpretadas pelo nível espiritual.
O nível emocional ou inconsciente, instintivo nos animais, é inerente à vida em todas as suas formas, nos ser humano suas conexões neurais estão por todo o sistema nervoso em redes paralelas, seus registros são processados por ondas cerebrais que também são interpretados pelo nível espiritual.
O nível espiritual ou super-consciente é a essência do programa do ser que precede a existência, no ser humano a consciência espiritual atua na base cerebral com uma onda de 200Hz (descoberta recente) que faz a leitura das ondas do consciente e inconsciente e devolve informação com inteligência, emoção e consciência, portanto a consciência inteligível e emocional é processada no cérebro e interpretada pelo espírito.
Com o entendimento da ciência do ser espiritual, torna-se compreensível o poder da oração e da meditação, pois ambas requerem a focalização do pensamento em algum propósito, e as ondas do pensamento não precisam ganhar as alturas para chegar até Deus, pois o seu espírito está em contato conosco, célula por célula. "Vale lembrar o que foi dito hà dois milênios: "O reino de Deus está dentro de vós" ou "Deus é espírito, e importa que os que o adoram, o adorem em espírito e em verdade" ou " A verdade vos libertará".
Até agora o que foi conseguido em termos de saúde, alegria e paz de espírito por poucos pela fé, poderá ser alcançado por muitos pelo entendimento. Santo Agostinho escreveu: "Compreender para crer, crer para compreender", porque ele acreditava que não só o credo, mas também a razão aproxima o homem de Deus.
E assim a aventura humana vai chegando ao seu topo com mais compreensão e consciência espiritual.
Ivo da Silva Bitencourt 03/120/2008

Cesar Ramos disse...

Espirito nada tem a ver com espiritismo, que é mera crença, calcada na forja cristã. "A separação metafísica da alma e do corpo teve efeitos desastrosos sobre a filosofia." (RUSSELL, B., Por que não sou cristão: 43)
Demócrito esteve em Atenas, mas como ele mesmo disse, ninguém dele tomou conhecimento. A lenda de Orfeu era mais confortadora.
O balanço é de empresa à deriva:
Os acidentes, as doenças, assim como a infelicidade em que está mergulhada a maior parte da humanidade, tem como gênese o distanciamento da fonte de energia vital e cósmica. GONZALEZ, MATHIAS, O caminho cósmico. - Rio de Janeiro: Pallas, 1993
A teoria quântica dos campos considera tanto a matéria (hadrons e leptons) quanto os condutores de força (bosons mensageiros) como excitações de um campo fundamental de energia mínima não-nula (vácuo).

IVO BITENCOURT disse...

A formação do universo
Anaxágoras: Um pouco de tudo em tudo.

"Em tudo é incluida parte de tudo", disse ele. A pluralidade das coisas explica-se assim por infinitas combinações de todos os elementos.

Assim que no princío estava tudo reunido numa ordem perfeita sem distinção dos elementos, sem espaço nem tempo. Até que por uma flutuação do vácuo quântico, escaparam as energias de contração e expansão que estavam em equilíbrio.
Iniciando o espaço/tempo com o deslocamento das energias numa entropia crescente.

No caos, pela ação da gravidade, começou a aglutinação crescente de elementos até se formarem as primeiras estrelas de hidrogenio...............

Assim deve ter sido a outo criação do universo. Se não foi mais ou menos assim então temos que admitir um arquiteto fora do universo, mas a pergunta continuaria, quem criou este arquiteto?

Marcelo Depólo disse...

Devo ser sincero: Não consigo entender o fundamento dessa discussão.

A ciência, por si só, ao logo da história, tem criado raízes cada vez mais profundas no âmago da sociedade.
A cada novo dia, descobertas fascinantes têm nos deixado boquiabertos com a necessidade de deixar para trás crendices e ritos.

Há milênios, isso ocorreu. Por milênios mais ocorrerá, porque isso é evolução! Tanto orgânica quanto intelectual!

Chegamos num patamar da humanidade em que já não aceitamos tudo que ouvimos. Foi-se a época em que as explicações para fenômenos naturais eram os milagres.

Tomar alguma religião como crença não abalará o futuro da ciência. É muita arrogância a nossa acreditar que temos tanto controle sobre o futuro do nosso globo.

A ciência progredirá e nossas crenças serão abaladas, quer queira, quer não.

Então deixem que a ciência se alastre! Não pertube seu caminho natural. Ela, por si só, derrubará os alicerces fracos,como faz uma onda poderosa, sem que tenhamos que ajudar no processo.

Sou espírita e cientista e, em mim, ambas vivem àvida e tranquilamente.

Grande abraço!

Marcelo Depólo

Anônimo disse...

Leandro!

Meu caro, o espírito é também material... Informe-se!

Um abraço!

Fabio disse...

Assunto polemico mas acredito que esta discursão pode e deve ir para outro n´vel

Creative Commons License
Os direitos de reprodução de Cultura Científica são regulados por uma Licença Creative Commons.