sábado, 5 de fevereiro de 2011

Desespero homeopático, ou beba gotas de água e vá em cana

Era 2004. As mais importantes companhias de seguros de saúde belgas dobraram-se à pressão popular e passaram a cobrir os custos de tratamentos homeopáticos. Um grupo de 23 céticos caiu em profunda depressão devido à decepção com o fato de as seguradoras encorajarem a charlatanice (nas palavras deles). Isso teve uma conseqüência terrível, e os levou a decidir pela única saída. Suicídio em massa em praça pública. Eles resolveram tomar um coquetel de venenos mortais que incluiu arsênico, veneno de cobra e beladona. Para o horror dos homeopatas, eles aumentaram a potência da mistura da melhor maneira homeopática. Diluíram uma parte em 100 de água, obviamente tomando o cuidado de sacudir o frasco vigorosamente antes da diluição para potencializar o efeito. Essa diluição foi repetida 30 vezes, obtendo assim um preparado mortal diluído 30C. Qualquer homeopata que se preza garantirá que numa diluição dessas é preciso tomar muito cuidado com os remédios. Todos os jornais e TVs foram convidados para acompanhar a lenta agonia dos 23 suicidas, entre os quais renomados professores de medicina. A cobertura da mídia foi um sucesso. A tentativa de suicídio um fracasso.

Hoje lembrei dessa história que na época apareceu no What's New e no Skeptical Enquirer.

Em poucas horas, às 10:23 da manhã de 5/2/2011 ocorrerá em Natal, São Paulo e Porto Alegre, assim como em várias outras cidades do mundo, o Desafio 10:23 2011. Várias pessoas (inclusive eu, não fosse um imprevisto doméstico que me impede de viajar até São Paulo) tomarão overdoses de preparados homeopáticos para mostrar de uma vez por todas que homeopatia é feita de nada. 10:23 é uma alusão ao número de Avogadro, que implica que qualquer coisa diluída acima de 10²³ (aproximadamente 12C) não contém nenhuma molécula do produto original. Tem mais sobre o protesto muito bem humorado no Ceticismo Aberto

Claro que isso causaria a ira das várias organizações homeopáticas. No entanto uma delas passou dos limites do risível. Segundo a Associação Brasileira de Farmaceuticos Homeopatas (ABFH) todos aqueles que estiverem bebendo água ou engolindo bolinhas de açúcar em praça pública às 10:23 do dia 5/2/2011 devem ser presos. Isso mesmo: ir em cana. A página deles tem a seguinte chamada: Movimento dos céticos contra homeopatia pode cometer crime se consumir medicamentos em praça pública. Não resisto a reproduzir a declarações de Márcia Gutierrez, a presidente da associação: “Um ato de irresponsabilidade contra a saúde pública que pode ser impedido pelas autoridades, tanto sanitárias quanto da segurança”. A matéria continua dizendo que "De acordo com a lei penal, este ato pode configurar crimes de indução ao suícidio, infração de medida sanitária preventiva e incitação ao crime."
Como foi mostrado acima, a última tentativa de suicídio homeopático na Bélgica foi um fracasso total. Pelo contrário, talvez se mais suicidas fossem adeptos da homeopatia e utilizassem seus venenos em diluições acima de 12C teríamos uma redução na taxa de sucesso dos suicidas.
Márcia vai além: "A prática proposta por esse grupo torna-se perigosíssima à saúde dos manifestantes, tendo em vista que os medicamentos homeopáticos devem ser tomados observando as prescrições e recomendações médicas, podendo desenvolver em pacientes, sensíveis a eles, uma série de sinais e sintomas peculiares ou mesmo a gravação (sic) de sintomas de enfermidades pré-existentes. Também a prática proposta pode levar insegurança e pânico aos milhares de pacientes que no Brasil e no mundo fazem uso da homeopatia como escolha terapêutica e que influenciados por este episódio poderão optar pela interrupção do tratamento vigente expondo-os também a sérios riscos de comprometimento de seu estado saúde."
Essa é realmente boa. Já imagino o pânico nos pacientes adeptos da homeopatia quando algum dos manifestantes tomar sua overdose homeopática.
A ABFH continua reduzindo o protesto a uma disputa comercial britânica (a velha inimiga indústria farmacêutica, que como se sabe não é nenhuma flor de ética) e insiste que "os estudos sobre a eficácia do medicamento (sic) homeopáticos são divulgados quase que exclusivamente no âmbito científico, médico e farmacêutico." Desnecessário repetir aqui que os estudos publicados nas mais prestigiosas revistas científicas têm sempre demonstrado que o efeito da homeopatia nunca é maior que o efeito placebo.
O desespero demonstrado pelo tom da notícia da ABFH e ao sugerir a prisão das pessoas que cometerão o crime de beber uma overdose de água sacudida só mostra que o protesto está tendo um efeito colateral antes mesmo de começar. Parabéns aos organizadores!

Esse texto é dedicado ao Omo, o simpático rapaz de 3 meses e meio dessa foto, que conquistou a todos da casa. Quando cheguei em casa hoje ele estava machucado e caído. A veterinária diagnosticou um rompimento da bexiga, talvez devido a um atropelamento. O estado dele é grave e só poderá ser operado amanhã cedo. Espero que ele resista a essa noite e amanhã tudo dê certo na cirurgia.




Update 1. O Omo infelizmente não resistiu até poder ser operado.


Update 2. Há um post legal sobre o mesmo assunto no Bule Voador.



18 comentários:

Cleinaldo Simões disse...

Meu caro,

Voce está errado e a ABFH certa.
Sugiro que voce leia o código penal.
Pode nao parecer, mas há lei no país. Se a autoridade vai aplica-la, bom isto é outro problema.
Para constar, fui em quem escrevi o texto para a ABFH. Fica o convite para um debate num meio de comunicacao que voces concordarem. Sem presepada. Só nos argumentos.
A agenda deles está aberta, inclusive a de interesses. A de voces deve ser aberta tambem, certo?

Cleinaldo Simões disse...

Mestre,
Voce está errado e a ABFH.
Leis o código penal. A interpretacao tem cabimento.
Digo isso por razao obvia. Fui eu quem escrevi o texto da associacao.
Sou cético, como jornalista. Conheço a agenda deles. Sugiro que voces abram a de voces para a mídia. E fica o convite para um debate num meio que se disponha a tal. Sem presepadas. Só no conhecimento cientifico. E cuidado com a sindrome do Drauzio, na qual ele tem razao e os outros 100 mil médicos são peças inocentes. Hum hum. Abs. Cleinaldo

Igor Santos disse...

Cleinaldo, então você sabe que a ABFH está certa porque você é o autor daquele texto ridículo e ainda tem coragem de atacar um dos médico mais preparado do país? Você realmente sabe mais do que Dráuzio?
Agora, antes de se vangloriar por ser jornalista, revise seus comentários antes de publicá-los. Alguém pode ler o que você escreveu e ficar achando que você "come jornalistas".

Mal sabe pontuar uma frase corretamente e se acha capaz de debater cientificamente? Você vai usar seu textinho da ABFH como prova científica, né? Porque, por tudo que você escreveu até agora, fica claro que você não faz ideia do que seja ciência.

E a nossa agenda está aberta. Pena que você não sabe ler.

Cleinaldo Simões disse...

Prezado Igor,

Os comentários pejorativos de sua parte demonstram qual é o nível intelectual do tipo de discussão ao qual deve estar acostumado.

A sua reação é típica dos que se sentem ofendidos ao se deparar com uma opinião contrária.

Se voce quer questionar o que eu escrevi, faça isso com inteligencia.

Os fatos que eu coloquei no texto buscam levar a polêmica levantada sobre a homeopatia a tres pontos importantes:

1. Fundamentação da crítica e direito de contraponto;

2. Limites legais e éticos para o exercício de opinião;

3. O papel dos formadores de opinião diante dos interesses de mercado.

Eu, publicamente, defendo a ABFH e tenho a convicção de que médicos e farmaceuticos podem demonstrar que as opiniões contratrias à homeopatia estão equivocadas.

O grupo de céticos defende a quem?

Abs
Cleinaldo

Fernanda Poletto disse...

Vergonha da minha profissão nesses momentos. Ou, pelo menos, de alguns colegas.

Pedro Homero disse...

Leandro, abraço fraterno de Portugal! Aqui também fizemos a nossa parte, como pode ver em 1023portugal.wordpress.com

Valeu!

Hecton P.Domingos disse...

Leandro,

Perfeito. Já estava na hora de acontecer um movimento desses aqui no Brasil.

O triste é que é o povo que paga essa bobagem!!

prof. Dulcidio disse...

Eu gostaria de ver um debate público, ancorado na boa ciência, confrontando os argumentos de ambas as partes.

Gabriela Francischetti Manzo - Gabe F. Manzo disse...

Que ótimo que começamos a nos movimentar pra isso.... mesmo pelo exagero e caráter teatral, não deixa de ser a comprovação científica da eficácia da homeopatia...acho que a única diferenca de outros estudos é que esse, é meio mith busters, pois quem é cientista de verdade, quem é realmente inteligente e cético, sabe bem que é improvável um composto tão diluído funcionar pra algo...
Ah!! Desejo tudo do melhor pro Omo.. =(( tadinho! espero que fique bem!

e alguém sabe se rolou??

Leandro R. Tessler disse...

Gabriela,
Obrigado pelo comentário. Infelizmente o Omo não resistiu. Estamos sentindo a falta dele.

Gabriela Francischetti Manzo - Gabe F. Manzo disse...

Puxa, Leandro... que pena =(((
imagino que sentem a falta mesmo... uma criaturinha que ama a gente com toda incondicionalidade...

Gabriela Francischetti Manzo - Gabe F. Manzo disse...

Leandro, permita-me fazer uma pergunta? Ele era seu e tinha acesso a rua? (não encontro todos os acentos nesse teclado)

Leandro R. Tessler disse...

Sim, o Omo era meu, filho da Mix que continua por aqui. Eu moro numa casa e sempre os gatos tiveram acesso à rua. Faz parte da natureza deles, apesar de subvertida pela convivência com humanos.
Gatos são animais especiais (só quem convive com eles sabe). É por isso que sentimos tanto sua falta.

Gabriela Francischetti Manzo - Gabe F. Manzo disse...

Entendi.... mas devo dizer que discordo com vc nisso, Leandro.. de que eles devem ter acesso a rua. Se passamos a domesticar o gato, ele deve ser resguardado pra que os perigos do mundo urbano não resultem numa morte não natural. - quando um animal de selva morre, geralmente tem um motivo, seleção natural, cadeia alimentar, etc.. mas quando morre envenenado, de uma queda muito brusca e alta, ou atropelado, passa ser por consequencia do meio em que ele está sujeito e não da natureza e história de vida do animal..- Seria ótimo que não houvesse pessoas que envenenam, que matam, que não tivesse carros pra atropelar..mas têm. Foge sim da natureza animal.. mas ate que ponto eh melhor ele ter esse acesso e sobreviver muito menos do que um gatinho que vive feliz em uma casa telada e segura? Eu digo isso pq pensava como vc, ja tive alguns momentos tristes como esse... mas entendi que com a posse responsável temos somente a ganhar, e os animais mais ainda =) Se tiver interesse, posso te passar alguns artigos sobre!!

Leandro R. Tessler disse...

Obrigado Gabriela. Você tem razão. Vou rever a política com os gatos de casa. Realmente o episódio de ontem foi muito ruim.

Gabriela Francischetti Manzo - Gabe F. Manzo disse...

=) Fico feliz de saber que existem pessoas assim no mundo!

Roberto G. S. Berlinck disse...

Caro Igor,

Você deveria fazer uma música:

Dez à vinte e três, dez à vinte e três
Minhas queridas moléculas.
Onde estão vocês?

Estão diluídas demais
A ponto de não estarem mais presentes
E, de mais a mais,
Ainda deixarem todos doentes.

Dez à vinte e três, dez à vinte e três
Minhas queridas moléculas.
Onde estão vocês?

E por aí vai...

merck disse...

Esse assunto está dando mesmo o que falar, e sinto muito pelo Omo!

Creative Commons License
Os direitos de reprodução de Cultura Científica são regulados por uma Licença Creative Commons.