sábado, 15 de outubro de 2011

Vitamina E e câncer de próstata

ResearchBlogging.org Há uns 20 anos descobri quase acidentalmente que tenho duas enzimas hepáticas, AST e ALT eternamente em doses um pouco elevadas no sangue. Isso é indicativo de inflamação no fígado. Fui testado para hepatites de A a Z, fiz uma biópsia de fígado e até hoje não tenho um diagnóstico conclusivo.
Logo depois descobri que tinha o colesterol elevado para os padrões estabelecidos. Minha médica, muito cuidadosa, me receitou a estatina da época (acho que era Lipitor). Meu nível de colesterou baixou rapidamente. Com base em um artigo da época (só consigo lembrar que era um estudo alemão) ela me receitou também uma cápsula diária de Ephynal, contendo 400mg de vitamina E. O artigo não era conclusivo, mas apontava efeitos aparentemente positivos na redução do LDL, o colesterol ruim. Na dúvida e aparentemente sem efeitos colaterais relevantes, decidi aderir ao tratamento. Ephynal era caríssimo. Eu logo descobri que nos Estados Unidos era possível comprar em qualquer farmácia ou supermercado cápsulas de vitamina E por uma fração do preço do Ephynal. Eu comprava embalagens com 400 cápsulas, suficientes para mais de um ano. Assim por mais de 10 anos eu tomei uma dose diária de vitamina E que correspondia a 40 vezes o recomendado a um indivíduo saudável. Isso pode parecer estranho para um cético assumido como eu, mas dada a ausência de efeitos colaterais achei que no pior caso não teria efeito algum, no melhor teria uma redução no LDL, além dos supostos efeitos benéficos que na época se achava que todos os antioxidantes teriam no organismo. O tempo passou e um belo dia em 2009 um artigo no NY Times fez com que eu desistisse de vez da vitamina E. O título já diz tudo: "Vitamina E: nenhum benefício, talvez danos". Estudos mais bem feitos tinham mostrado que a ingestão contínua de vitamina E aumentava o risco de ataque cardíaco. Atualmente a Cochrane Collaboration afirma claramente que "vitamina E não deve ser recomendada para doenças do fígado". Trato do nível de colesterol com uma dose mínima de rosuvastatina.
Qual não foi minha surpresa ao ler em pleno feriado do dia da criança um artigo escrito pelo amigo Reinaldo Lopes na Folha: "Suplementos de vitamina E aumentam o risco de câncer de próstata". Como eu faço parte do grupo de risco para esse tipo de câncer, devorei o artigo original. Vale a pena comentá-lo porque é um excelente exemplo de ciência bem feita.O objetivo original do estudo era verificar se afinal a ingestão de selênio ou de vitamina E reduziriam o risco de câncer de próstata. A conclusão foi contrária à hipótese: a ingestão contínua de 400mg de vitamina E por dia aumenta em 17% o risco de câncer de próstata em homens brancos com mais de 50 anos e negros com mais de 55 anos. O estudo envolveu 35533 homens e o resultado tem relevância estatística. Mais que isso, os autores reconhecem não poder propor a partir dos dados um mecanismo químico responsável por esse aumento. Ele deve existir e será objeto de mais estudos.
Uma outra conclusão importante é, literalmente: "é preciso que os consumidores sejam céticos em relação a alegações a respeito de saúde de produtos não regulados vendidos  sem controle, na ausência de forte evidência de benefícios demonstrada em testes clínicos".
Espero que outras pessoas não caiam no meu erro de achar que uma vitamina recomendada por 10 entre 10 naturebas era inofensiva. É impressionante a quantidade de drogas e produtos sem nenhum efeito comprovado em testes clínicos sérios que são vendidos livremente em farmácias brasileiras (e americanas também!).
Depois da leitura desse artigo eu, como todos os homens na minha idade deveriam fazer, tenho mais motivos para repetir anualmente meu exame de próstata para caso (mais provavelmente quando) apareçam os primeiros sintomas de câncer ele seja tratado em sua fase inicial, com grandes chances de cura.

Update: O Petrucio me passou links para dois ótimos artigos no Science-Based Medicine: um sobre um estudo de cohorte em mulheres pós-menopausa, que não encontrou evidência de efeitos positivos e outro recente que mostra a inutilidade de ingestão de megadoses de vitaminas.

Referência:
Klein, E., Thompson, I., Tangen, C., Crowley, J., Lucia, M., Goodman, P., Minasian, L., Ford, L., Parnes, H., Gaziano, J., Karp, D., Lieber, M., Walther, P., Klotz, L., Parsons, J., Chin, J., Darke, A., Lippman, S., Goodman, G., Meyskens, F., & Baker, L. (2011). Vitamin E and the Risk of Prostate Cancer: The Selenium and Vitamin E Cancer Prevention Trial (SELECT) JAMA: The Journal of the American Medical Association, 306 (14), 1549-1556 DOI: 10.1001/jama.2011.1437

8 comentários:

Jairo Grossi disse...

Putz. Você tomou vitamina E pra uma vida inteira!
Por que não tenta a homeopatia? rsrs..(brincadeirinha). Por falar nisso, não sei se você já sabia, mas Steve Jobs perdeu 9 meses tentando uma cura "alternativa". Estou achando que se ele tivesse recorrido à medicina tradicional, fazendo logo uma cirurgia, provavelmente teria ganho alguns meses a mais. Sei lá. Não estou condenando o cara, pois essa coisa de tentar evitar uma cirurgia pode acontecer com qualquer um, mas acho que se acontecer comigo acho que prefiro, como diz um amigo meu, "entrar pra faca". Ah, o link que eu li a notícia, se interessar-te:

http://astropt.org/blog/2011/10/14/steve-jobs-o-nao-cientista/

Marson disse...

Meu minguado campo amostral, ligado à indústria farmacêutica, escancara que neles há tanta preocupação com o bem estar humano quanto nas fábricas de cerveja, cigarros e grifes da última moda. O trágico disso é que, do aliciamento de estudantes e profissionais da saúde com brindes caros, temos uma média que sucumbe à tentação do fordismo em cápsulas, e passa a dar nenhuma visibilidade a práticas com interessantes resultados científicos, como a acupuntura (http://tinyurl.com/23ht3qz), mas pouco retorno econômico. Sinto que, aos poucos, o mesmo poder que cegou a Igreja na idade das trevas, agora entorpece muito de nossa ciência, e a indústria farmacêutica é um bom exemplo disso. Como garantir que práticas de bons resultados clínicos com pouco retorno financeiro também terão inve$timento/divulgação? É difícil dizer... mas quanto aos comprimidos de vitamina E, só perderão o mercado quando colocarmos a ética acima do comércio...

Anônimo disse...

Sobre exames anuais e tratamento precoce de câncer de próstata é bom ler o livro:
"Overdiagnosed: Making People Sick in the Pursuit of Health" de
H. Gilbert Welch

Há estudos recentes sérios e independentes mostrando que a mortalidade de uma população de homens que fazem exames anuais preventivos da próstata é a mesma da população que somente procura o médico quando tem sintomas.
O INCA aqi no Brasil tentou em 2010 divulgar esses resultados, mas foi barrado pelo protesto dos urologistas.

Antonio Carlos

Roberto Berlinck disse...

Oi Leandro,

Nozes e castanhas são alimentos ricos em vitamina E.

Abraços
Roberto Berlinck

Luiz disse...

Sempre vai haver o jogo de interesses. E quem tem mais poder e dinheiro vai sempre sair ganhando...
Nunca vamos saber de verdade se alimentos transgênicos fazem mal ou celulares causam câncer pois as respostas dependem dos interesses envolvidos.
Café já fez mal, foi inofensivo, agora faz bem.
A verdade é que todos morreremos, cedo ou tarde, meses ou anos antes ou depois, mas o poder e dinheiro vão continuar ganhando, quer você esteja vivo ou morto.

Mario disse...

É muito complicado sempre pensei que como a vitamina E é um potente antioxidante pudesse de alguma forma prevenir todos os tipos de câncer.
Eu sou afrodescendente tenho mais de 45 anos e me preocupo muito com o possibilidade de vir a contrair esse tipo de câncer.
Tomo eventualmente vitamina E, por que sou praticante de atividade física moderada. Mas fico pensando na credibilidade dos artigos principalmente vindo dos americanos , onde está a nata de indústria farmacêutica, será que existe algum interesse por trás, nunca saberemos.

Unknown disse...

caro, pena q vc se baseou somente em poucos artigos comtra a vita.E. Qd na verdade a internet ta lotada deles mostrado seus beneficios e suas cautelas. Vc podia ter lido mais e se aprofundado na literatura desse poderoso antioxidante. Outra coisa, a medicina holistica segue um protocolo medico, para q se evite os excessos. Como diria o filosofo grego Socrates: nada em excesso! boa saude a todos.

Leandro R. Tessler disse...

Caro desconhecido,
Obrigado pelo comentário.
A internet está lotada de coisas. Muitas delas falsas ou mal feitas. Referências idôneas são publicadas em periódicos de prestígio.

Creative Commons License
Os direitos de reprodução de Cultura Científica são regulados por uma Licença Creative Commons.