sábado, 5 de janeiro de 2013

Foi sem querer...

Estou sem escrever há muito tempo. Uma agenda de viagens pesada não tem me permitido a paz necessária para pensar em artigos que sejam ao mesmo tempo interessantes e instigantes.
Quando não é possível ter idéias originais e relevantes o melhor é não publicar nada.
Infelizmente parece que essa não foi a postura do Prof. Rui Curi, membro da Academia Brasileira de Ciências e diretor do Instituto de Ciências Biomédicas da USP.
Em 2011 o prof. Curi foi coautor de 25 artigos científicos publicados. Isso corresponde a mais que 2 artigos a cada mês, além das atividades administrativas que a direção do ICD certamente exige. É muito pouco provável que o Prof. Curi tenha conseguido ler cuidadosamente cada um dos 25 artigos que levam sua assinatura, mas seguindo uma prática muito comum tem seu nome associado a todos eles. Eu tive um chefe na França que tinha seu nome em mais de 50 artigos publicados em um ano!
No entendimento das financiadoras e de boa parte da comunidade científica brasileira esses números inflados são sinal de alta produtividade científica. Tudo anda bem e o prestígio do pesquisador só aumenta, até que algum chato decide olhar os artigos com atenção. E aí a casa pode desabar...
A Folha de São Paulo e o Herton Escobar do Estadão publicam hoje notas mencionando a retratação de um artigo publicado pelo Prof. Curi e colaboradores em 2007. Eles mencionam também o quiproquó internacional no qual o prof. Curi se envolveu recentemente e que provavelmente causou a retirada do artigo.
O blog Retraction Watch, mantido por Adam Marcus, editor do Anesthesiology News e Ivan Oransky, editor executivo da Reuters Health, considerou a retratação "irônica". Ela ocorreu logo depois do fechamento do blog Science Fraud. O blog foi encerrado dia 2/1/2013 devido a uma sucessão de ataques legais (ou seja, mensagens de advogados ameaçando o autor com um processo) que ocorreu após alguém ter enviado a mais de 100 pessoas (com suspeitas de fraude científica apontadas pelo blog) o e-mail do editor do blog. Ele depois veio a público, identificando-se como Paul Brookes, um pesquisador da Universidade de Rochester. Uma carta enviada por um advogado representando o Prof. Curi foi a primeira dessa série. Por que isso correu? 
Tudo começou quando em 15/11/2012 o Science Fraud notou em seu artigo Reuso de imagens por Brasileiros (*) que a mesma imagem de controle foi usada em dois artigos diferentes, publicados em 2012, um no Journal of Cell Physiology e e um no Cellular Physiology and Biochemistry submetidos com meses de diferença.
Dia 5/12/2012, em CURIosidades nos dados, o Science Fraud mostra que em um artigo na Life Sciences de 2006 a mesma imagem foi usada para representar duas condições diferentes, que num artigo de 2007 no Journal of Lipid Research "quase todas as figuras apresentam problemas" e que num artigo de 2010 no Free Radical Biology and Medicine o reuso de imagens é tão evidente que é de se perguntar como isso passou pelo processo de revisão pelos pares.
Dia 7/12/2012, em CURIoso e mais CURIoso é mostrado que já em 2008 o mesmo truque de repetir a mesma imagem em várias figuras foi usado num artigo no Journal of Cell Physiology. E o mais curioso é que o que o artigo de 2012 mencionado dia 15/11 cita o artigo de 2008!
O Prof. Curi ficou indignado com as alegações do Science Fraud. Decidiu tomar medidas legais contra o site. Para isso buscou ajuda de um escritório de advocacia que enviou uma carta ameaçadora, a primeira recebida pelo editor do blog e postada em 17/12/2012 em Nossa primeira carta "Pare e desista". O texto, escrito em um inglês que denuncia a origem brasileira do autor, segue:
"Dear Sir or Madam, 
We do hereby inform you that we represent Professor Dr. Rui Curi, Dean of ICB-USP,  (Instituto de Ciências Biomédicas), the Biomedical Sciences Institute of the University of São Paulo in Brazil, Professor Dr. Rafael Herling Lambertucci, and other professors and researchers linked to the ICB which have been and still are the object of denigrating postings on your site. 
This is a fraud website, but there has never been a fraudulent action neither taken nor proven. Even worse is being publicly disclosed: prejudice and prejudgement not only against their authors but as well against all the involved institutions ICB, USP, FAPESP and Brazilian scientific community. 
Furthermore, these unfairly and anonymously accused Brazilian professors and researchers are also having their papers and article denied for further publications. Their students are becoming not secured anymore and everything regarding their conduct and scientific performance is being challenged. 
We inform you that such postings are triggering irreversible effect on their scientific activities since they cause the interruption of the flow of funds to their ongoing research projects at the ICB institute among others. 
One of its main public supporters, namely the FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), the Research Support Foundation of the State São Paulo has very strict regulation determining immediate suspension of funding.
http://www.fapesp.br/boaspraticas/FAPESP-Code_of_Good_Scientific_Practice_jun2012.pdf
5.9. Upon becoming aware of an allegation of scientific misconduct, FAPESP may, taking into account the seriousness of the alleged misconduct and the supporting evidence available, temporarily suspend the grant or scholarship related to the allegation if such actions are deemed necessary to protect the interest of science or preserve public health, safety and resources.
(...)
5.10.3. FAPESP may also take contractual measures, such as the cancellation of existing grants or scholarships for which those guilty of the misconduct are beneficiaries or are responsible.
We therefore urge you to remove the referred denigrating postings from your site until further clarification on the subject matters dealt with therein, under the penalty of your being held liable on a civil and criminal sphere. 
We are at your entire disposal for further comments or proceedings you may deem necessary or applicable in the present case. 
Yours very truly,"
O editor do Science Fraud não quis identificar o advogado ou o escritório por trás da mensagem. Apesar das passagens macarrônicas, é possível traduzi-la mais ou menos como:

"Caro senhor ou senhora, 
Informamos que nós representamos o Professor Dr. Rui Curi, Diretor do ICB-USP, o Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, no Brasil, o professor Dr. Rafael Herling Lambertucci e outros professores e pesquisadores ligados ao ICB, que foram e ainda são objeto de postagens que os denigrem em seu site. 
Este é um site de fraude, mas nunca houve uma ação fraudulenta feita ou provada. Pior ainda, está sendo divulgada publicamente: preconceito e prejulgamento não só contra seus autores, mas também contra todas as instituições envolvidas ICB, USP, FAPESP e a comunidade científica brasileira. 
Além disso, esses professores e pesquisadores brasileiros acusados injusta ​​e anonimamente também estão tendo recusados para publicação seus trabalhos e artigos. Seus estudantes estão inseguros e tudo que diz respeito a sua conduta e desempenho científico está sendo posto em dúvida.
Informamos que as postagens estão provocando efeitos irreversíveis em suas atividades científicas já que elas causam a interrupção do fluxo de fundos para os seus projetos de pesquisa em curso no instituto ICB entre outros. 
Um de seus principais financiadores públicos, nomeadamente a FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), tem um regulamento muito estrito determinando a suspensão imediata do financiamento. 
http://www.fapesp.br/boaspraticas/FAPESP-Code_of_Good_Scientific_Practice_jun2012.pdf 
5.9. Ao tomar ciência de uma acusação de má conduta científica, a FAPESP poderá, tendo em conta a gravidade da falta alegada e os elementos de prova disponíveis, suspender temporariamente a concessão ou bolsa de estudos relacionados com a alegação se tais ações são consideradas necessárias para proteger o interesse da ciência ou preservar a saúde pública, a segurança e os recursos.(...)5.10.3. FAPESP também pode tomar medidas contratuais, tais como o cancelamento de subsídios existentes ou bolsas de estudo pelas quais os culpados de má conduta são beneficiários ou responsáveis.
Por isso, solicito a imediata remoção dos referidos posts denegridores do seu site até mais esclarecimentos sobre os assuntos ali tratados, sob pena de ser responsabilizado nas esferas civil e criminal.
Estamos a sua inteira disposição para esclarecimentos adicionais ou procedimentos que julgar necessário ou aplicável no presente caso.
Atenciosamente,"

Se realmente não houvesse sinais de fraude, bastaria o Prof. Curi ter demonstrado isso. No entanto, a carta do seu advogado lança mão de argumentos preconceituosos, estapafúrdios e mentirosos, como apontado pelo próprio Paul Brookes assinando como Frances DeTriusce (um anagrama de Science Fraudster). Minha análise, baseada nos argumentos de Brookes:

  1.  A palavra "denegrir" é usada duas vezes na carta. Eu ensinei minhas filhas a jamais usar termos de conotação racista e preconceituosa. O advogado, que acusa Brookes de preconceito e prejulgamento deveria fazer o mesmo.
  2. O advogado acusa o Science Fraud de tornar públicas as acusações de fraude. Na verdade os artigos já são públicos. Brookes apenas aponta os indícios de fraude em vários artigos diferentes escritos durante um período 8 anos.
  3. O advogado afirma que artigos dos envolvidos estão sendo recusados devido à acusação de fraude. Devido ao curto tempo decorrido entre as publicações do blog e a carta, é virtualmente impossível que algum artigo tenha sido recusado por esse motivo. Em geral os periódicos científicos levam no mínimo de 3 a 5 semanas para decidir se um artigo será recusado ou publicado. Não houve tempo para que um novo artigo dos autores fosse recusado. Essa afirmação é mentirosa.
  4. O mesmo vale em relação à FAPESP. Não é razoável a FAPESP cortar algum financiamento sem uma investigação criteriosa. Na minha opinião, as acusações são suficientemente consistentes para que isso seja feito.
  5. O advogado usa a velha tática de aumentar a acusação para o ICB, a USP, a FAPESP e toda a comunidade científica brasileira. A enorme maioria dos cientistas brasileiros não manipula dados ou imagens, ou seja, não se sente em nada diminuída quando é descoberto que algum colega o faz.
  6. O advogado afirma que não há uma ação fraudulenta comprovada. No entanto, na figura abaixo há um forte indício de fraude. Eles são o resultado de uma técnica chamada western bloting. As manchas pretas sobre cinza, que em princípio deveriam ser retas, assumem formas irregulares devido a fatores fora do controle do experimentador. Cada vez que o experimento é repetido a forma muda. O Science Fraud mostrou que mesma imagem foi usada em artigos assinados pelo Prof. Curi como representando diferentes medidas. Isso poderia ser só um "engano", o que já seria grave numa publicação científica. No entanto, numa das aparições a banda marcada em rosa girou meia volta, e em uma das aparições as bandas marcadas em vermelho foram deslocadas uma coluna. Isso NÃO acontece sem que algum dos autores do artigo tenha tido a intenção de faze-lo, apesar do que afirmou o Prof. Curi na Folha.



Mesmo que pessoalmente não tenha sido o autor das manipulações de dados e imagens apontadas, o Prof. Curi foi no mínimo conivente com elas ou pior, nem leu os artigos em que aparece como autor. E buscar a ajuda de um advogado não é a atitude que se espera de um cientista de seu prestígio. A pressão por publicar muito e a qualquer preço deveria ser revista pelas financiadoras brasileiras.

Quando terminava de escrever esse artigo notei que ele está sendo discutido também no Gene Reporter do Roberto Takata e pelo Ciência Brasil do Marcelo Hermes.


(*) Os links para o Science Fraud são na verdade para o cache do Google, dado que o blog está fora do ar.

Upideite 26/2/2013: Há um artigo intrigante na página da ADUSP sobre o assunto. Aproveito para agradecer os comentários e links neles postados.

Upideite 6/8/2013: O Herton Escobar do Estadão tem seguido de perto esse caso. Ele publicou que o Prof. Curi foi inocentado pela Comissão de Integridade na Atividade Científica (Ciac) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq)e também por uma comissão interna da USP. O presidente da CIAC do CNPq afirmou em nota que "a CIAC verificou que há erros na composição de figuras e na apresentação de dados, erros reconhecidos pelos autores denunciados, que indicam descuido nos procedimentos empregados na elaboração e revisão dos manuscritos em pauta. A CIAC conclui que houve falha no exercício de rigor na condução e divulgação de resultados, indispensáveis à pesquisa de qualidade.”
Eu acredito que a comissão tenha tido acesso a todos os fatos e agido dentro da maior lisura. No entanto, em tempos de imagens digitais, é muito pouco provável que uma figura apareça de ponta cabeça misteriosamente sem que alguém tenha cuidadosamente feito isso.
Durante meu doutorado eu usei muito microscopia eletrônica. Naquela época ainda não haviam sido inventados os sensores de imagem de alta resolução digitais atuais. As imagens eram registradas em filme fotográfico e reveladas por nós mesmos num laboratório fotográfico contíguo ao microscópio. Fazia parte da rotina de obter imagens marcar as placas fotográficas para saber qual o lado certo. Antes de publicar qualquer coisa nós verificávamos que não houve inversão alguma de imagem usando as marcas que tínhamos feito. Mesmo que alguma imagem tivesse sido invertida seria muito difícil alguém detectar pois cristais são simétricos e sem as marcas não é possível saber o lado certo. Esse não é o caso dos blots mostrados acima. As imagens não são simétricas, mas como elas são arquivos binários no computador não há o risco de serem processadas viradas inadvertidamente. Elas só apareceram viradas porque um dos autores propositalmente as virou.  Não precisa de CIAC para saber isso.

60 comentários:

Anônimo disse...

Rui Curi mentiu durante toda a cobertura do caso e continua agora mentindo para Folha. Rafael Lambertucci assegurou em resposta ao blog que as imagens eram diferentes (mas "parecidas") e agora o artigo vai ser corrigido, provavelmente com novas imagens. Então por o artigo será corrigido? Possivelmente também mentiu nos comentários.

Todos esses casos são de fraudes intencionais. É impossível rotar, inverter, redimensionar e deslocar bandas de maneira não proposital. O artigo retratado constituiu projeto principal de doutorado da aluna (que em tempo, recebeu quatro anos de bolsa para finalizá-lo), portanto ambos ela e o pesquisador principal tem responsabilidade sobre os dados. O discurso dos acusados é apaziguador, como se uma retratação fosse algo normal para um pesquisador, que foram coisas pequenas. A reportagem da Folha infelizmente dá a entender isso. Fico muito feliz que esse blog dê um "better picture" da coisa. O que aconteceu foi muito, muito sério.

Parabéns pelo post.

Bebel disse...

Olá Leandro

Parabéns pelo post tão bem escrito. Que história, hein? É fundamental que saibamos direitinho o que ocorreu, e o caminho é este.
Um abraço
Marcia Triunfol
Publicase Comunicação Científica

Anônimo disse...

O verbo haver no sentido de existir é irregular e, portanto, deve ser conjugado no singular: "Se realmente não houvesse..."

Roberto Cohen disse...

Bah... Essa sanha por artigos científicos é jogo duro... Parabéns pelo texto. Smack. EL CO

Anônimo disse...

Se realemente for verdade que houve uma fraude, troca ou reuso de imagens, os autores devem ser advertidos e os resultados reanalisados para verificar se as conlusões em frente aos resulatdos são realmente verídicas.
Ademais, como último autor define ele como o chefe da pesquisa. Portanto, é obrigação do pesquisador resposnável pelo projeto que revise minuciosamente o paper, inclusive seus alunos que são autores.
A culpa é dele e dos alunos também. Isto é falta de atenção na preparação de um paper.
Não acompanho este site de fraudes científicas.
Fica uma dica: Isto serve como ecemplo pra vcs que pretendem ser pesquisadores.

Ariabreu disse...

Curioso que só pegam figurões da USP: Coordenador da FUVEST, a Reitora, um titular da direito acobertado pelo Rodas e agora um diretor do ICB. Será que o baixo clero é honesto ou não vai para mídia?
Eu encontrei várias teses de doutorsdo de professores da UFSC com cópias de textos anteriores. Em vez de apurar a UFSC defendeu judicialmente. O material está em: naofoiplagio.blogspot.com.br

sro0 disse...

A desculpa "eu não sabia" não funciona nesses casos, não é?

Anônimo disse...

Excelente analise de tudo isso que ocorreu (e que ainda ocorre).
Estou cansado desse discurso condescendente das instituicoes e midias sobre esses casos absurdos de fraude. Esses caras perderam a chance de em caso de duvida serem inocentes, eles tem que agora provar a inocencia (o que nesse caso eh impossivel). Eles devem aceitar que fraudaram e pedir desculpas publicas pra comunidade academica, se nao o risco de angariar mais pessoas irritadas com o caso aumentara.

Anônimo disse...

Eu gostaria de saber quem dedou? isso sempre existe.....

Anônimo disse...

Sei não, prefiro ser imparcial. Do mesmo modo que pode ter havido fraude de um lado, as denúncias também podem ter sido motivadas por certos interesses do outro. Principalmente em se tratando de americano, ponho minhas barbas de molho...

Anônimo disse...

Excelente análise.

Devo notar que o fato de a denúncia vir de uma ex-mulher irada ou de um inimigo político não significa que os fatos sejam irreais. Denúncias anônimas são boas para a democracia, e simplesmente não possuem autor.

É um exemplo de como anda a ciência aqui, com os "peixes grandes" mega arrogantes e super errados ditando regras. Se o Brasil quer internacionalizar a ciência, vai ter que se adequar aos padrões de qualidade internacionais.

Incentivo a qualquer leitor a investigar mais artigos deste autor e enviar para outros blogs de fraude. Ele está muito visado agora, e seria muito bom se ele "caísse", para o Brasil e o mundo.

E lembrem que há denúncias evidentes de fraudes em artigos da UNESP no site que saiu do ar, que todos fingem que não existem. Devem ser investigadas também.

Anônimo disse...

É verdade, tem gente que também escreve sem revisar o conteúdo. Existe muita falta de pessoas responsáveis atualmente.

Anônimo disse...

Concordo com o comentario acima. Nao importa quem denunciou e nem os motivos que essa pessoa tinha. Nao tem como justificar fraude.

Uma denuncia desse calibre contra um pesquisador americano do nivel do Dr. Rui Curi e vinculado a uma instituicao tao importante quanto a USP, resultaria em afastamento imediato do pesquisador denunciado de seu cargo de chefia. Me admira que a USP nao tenha tomado nenuma atitude nesse sentido. Eu esperaria uma menor tolerancia para condutas anti-eticas em docentes que estao em posicoes de lideranca na universidade.

Anônimo disse...

Democracia? Acho isso muito diferente e muito perigoso. Na época da Inquisição a pessoa ia para a fogueira porque era denunciada por alguém sem nenhuma credibilidade simplesmente porque não ia com a cara dela. Não estou defendendo ninguém, apenas alertando para este fato.

Anônimo disse...

O autor do naofoiplagio.blogspot.com.br relata que abriram um Processo Administrativo contra ele com base em denúncias anônimas de alunos, ao passo que deixaram passar várias teses com plágio da chefia. Parece que o poder está na mão dos fraudadores. que estão ilesos, apesar de provas bastante contundentes.

Anônimo disse...

Primeiramente quero deixar claro que não sou aluna do professor Rui, nunca fui e não trabalho no Departamento de Fisiologia. Conheço o professor Rui por sua posição pública, Diretor do ICB, e por declarações de seus ex-alunos de graduação que conheço. O professor Rui é um ser humano de altíssima qualidade, humano. Como disse uma vez um docente da UNICAMP: “uma pessoa do bem”. Qualquer um pode ver em seu CV Lattes quantas vezes foi professor homenageado e paraninfo na graduação. Justamente por sua postura humana e boa, acaba se deparando com situações adversas. Uma relação na pós-graduação, professor-aluno, funciona como um casamento, onde os princípios de confiança garantem o alicerce da relação. Concordo com a sua fala inicial, ao explicitar que possivelmente o professor Rui não leu detalhadamente o trabalho; justamente por confiar nos alunos que escreveram e nos que foram responsáveis pelas figuras do trabalho. Quando uma pessoa jamais faria algo de maneira intencional, sem considerar a ética como referência, jamais imagina que outra pessoa possa fazer. Quem daqui nunca se decepcionou com alguém: em uma longa amizade, em um casamento? Até pensar: “eu nunca imaginei que esta pessoa pudesse fazer isto!” De acordo com a minha opinião, foi isto que aconteceu. Bem, este assunto poderia continuar por horas e horas, mas, quero deixar aqui registrado que não podemos fazer um pré-julgamento sem conhecer com veracidade os fatos. O professor Rui não deve ser crucificado, como algumas falas daqui implicitamente demonstraram. O professor Rui tem 502 artigos publicados. Dentre estes, oito, conforme relatado neste blog, apresentam problemas. Assim pergunto: será que nestes oito trabalhos, não estão praticamente os mesmos autores; que outrora não participaram dos outros 494 trabalhos? Quem ou quais foram os responsáveis por elaborar as figuras e discuti-las? Por aí devemos seguir, e aguardar a apuração detalhada dos fatos. Não sou nenhuma fanática religiosa, mas, “quem não for pecador que atire a primeira pedra”.

Jaqueline

Anônimo disse...

As pessoas tem a mania de achar que existem motivações pras denuncias, e prefirem a fofoquinha de "quem será que fez a denuncia", do que a fraude em si. Impressionante!
Ficou claro que houve... são peixes grandes, não é de se espantar que sejam denuncias anonimas. Só ver o que aconteceu com um professor da USP que fez denuncias publicas, professor Cerqueira. Foi processado pelo professor Rui Curi. Tem mais que fazer denuncias anonimas mesmo, são um bando de bandidos mesmo...

Anônimo disse...

Jaqueline

Do bem ou do mal, ele foi pego com a boca na butija, da mesma forma que Henry Sobel foi pego roubando gravatas. Consegui escreve 502 artigos, e agora sabemos como. Existem lema no MIT: Você escreveu um artigo por ano você é um cara bom, muito bom. Se escreveu dois artigos por anos você é um gênio. Se esxreveu três artigos por anos, você é um pilantra.

Anônimo disse...

Dê uma olhada nestes três artigos, leia com muita atenção e critérios comparativos de textos(considerando o artigo mais antigo), os seguintes artigos abaixo DO MESMO PESQUISADOR DIRETOR ICB PQ-1A ("AUTO-PLÁGIO" OU DUPLICAÇÃO DE TEXTO!!) e a real contribuição para a ciência, sem falar dos aspectos éticos. Precisamos refletir com muita seriedade o que vem acontecendo na academia e no sistema cientométrico.
1-Comparative toxicity of oleic acid and linoleic acid on Jurkat cells Clinical Nutrition, Volume 23, Issue 4, August 2004, Pages 721-732
2-Comparative toxicity of oleic acid and linoleic acid on Raji cells. Nutrition, Volume 21, Issue 3, March 2005, Pages 395-405
3-Comparative toxicity of oleic and linoleic acid on human lymphocytes Life Sciences, Volume 78, Issue 13, 23 February 2006, Pages 1448-1456

Anônimo disse...

Só para lembrar: dê uma olhada em naofoiplagio.blogspot.com.br . A diferença é que lá são apresentados plágios em 8 teses, 3 dissertações e 22 TCC's, enquanto na USP é apenas um paper. Outra diferença: A USP diz que vai apurar, a UFSC solenemente ignora a questão e persegue o denunciante. Ultima diferença: A nossa mídia tem preguiça de sair de São Paulo.

Anônimo disse...

Resposta pra Jaqueline,

Antes de vir postar amenidades ("ele é uma boa pessoa" e etc), vá dar uma lida no caso, ver os artigos com problemas. Você verá que os artigos são de anos diferentes, de autores diferentes. É uma prática do laboratorio e não de um ou outor aluno. Se tem alguem que não deva receber a culpa entre os alunos e o professor, são os alunos, porque o sistema do laboratorio é talvez tenha obrigado os alunos a fraudarem. O professor é o orientador, ele quem tem que primar pela ciência, e pelo jeito, ele não é só culpado por fraudes, mas pior, por formar cientistas que não entendem o que é ciência, e que ciência é publicar muito, não importa o que, nem como. Esse cidadão faz um total deserviço pra ciencia nacional em vários parametros. Por favor, Jaqueline, primeiro vá ver os artigos com problemas, antes de falar amenidades sobre a vida do Curi.
Além, por favor, não são "apenas" 8 artigos. Não funciona assim: ele tem 500, 8 não são nada. Primeiro que um só artigo já mostr aum problema, segundo que 8 foram os que contem imagens que podem ser pegos, isso não quer dizer que o resto seja isento. O resto não pode ser pego, simplesmente porque são numero, nao tem imagens. Se fizer um devassa nesses artigos é capaz de não sobrar um só.

Anônimo disse...

Eu concordo totalmente com a fala da Jaqueline. Aliás, parabéns pelo post! Vocês são perfeitos??? Nunca cometeram erros??? Cuidem das suas vidas, não da vida dos outros. Usem o tempo para refletir sobre vocês.

Anônimo disse...

Sr. Amigo da Jaqueline
Erro honesto é erro honesto, fraude é fraude. Uma coisa é esquecer uma citação outra coisa é esquecer vinte. Uma coisa é esquece de colocar aspas, outra é colocar sinônimos para disfarçar o plágio. Uma coisa é esquecer a citação, outra coisa é inventar uma citação para enganar o leitor.

Anônimo disse...

Fulano é boa pessoa...Por isso não merece ser julgado...

O comentário : Vocês são perfeitos??? Nunca cometeram erros???
é de uma infantilidade, de um retardo, que chega a dar medo!

Então tá! O cara é boa pessoa, a comunidade se cala, ninguém diz nada e a gente continua sendo o país do oba-oba? Olha, esse tempo está acabando. O país tá crescendo, graças a denúncias como esta e tantas outras.Ou vc acha que o pessoal do mensalão tb eram todos gente boa?

Vocês precisam crescer! Virar adultos. E adulto tem que responder pelos erros que comete! Palhaçada!

Anônimo disse...

Bem vindo à ciência. Errou, é ridicularizado. Fraudou, vai ser crucificado.

Não há espaço para ser "humano", "legal", etc, que são qualidade para o meio político. Nosso país precisa entender que na área de trabalho séria as relações humanas são menos importantes que a qualidade do trabalho.

Os 8 artigos fraudados sugerem que os outros são na mesma linha. Existem agora cientistas sérios pelo mundo todo buscando estes erros, e virão à tona. Podem esperar.

Se o Dr. Curi é legal, muito bom, OK, mas se ele deixou passar fraude a sociedade científica vai mastigar ele. Serve de exemplo. Façam ciência séria, e sejam simpáticos se quiserem.

A democracia funciona muito bem com denúncia anônima. Polícia funciona na base disso. A ciência precisa se proteger de fraude a qualquer custo, sem emoções. Quem não gosta, que vá trabalhar em outro ramo mais humano.

Vai sobrar apenas cientistas que pecam sim, mas não em fraude.

Excelente post.

Anônimo disse...

" Cuidem das suas vidas, não da vida dos outros."

A principal função dos cientistas é justamente cuidar do trabalho dos outros. O nome disso é "revisão do assunto" e tb "peer review".

Quer trabalhar sozinho? Não receba financiamento público, e principalmente, não publique para não correr o risco de ninguém ler e julgar.

Anônimo disse...

Comparar ser acusado de bruxaria com ser acusado de fraude beira a idiotice. Como comparar ser punido pela lei com ser punido com a fogueira e linchamento.

Pode ser apenas alguem que faz igual, o que por aqui no Brasil nem seria de se estranhar...

Anônimo disse...

Conheço muito bem o laboratório do Rui, que é enorme e com muita gente trabalhando. Ele sempre foi o "cara da produção científica"!! As pessoas que trabalhavam com ele se "achavam" os melhores do pedaço por ele ter nome e prestígio no mundo científico. Claro que isso deve ser apurado, mas duvido que não tenha havido má fé na publicação desses resultados e é claro, com conhecimento do próprio. No ICB existem professores mais velhos e melhores pesquisadores que ele, que não publicam tantos artigos quanto ele, pois são criteriosos ao escrever e publicar um artigo científico. Portanto, isso deve ser totalmente apurado!

Anônimo disse...

Anonimo acima disse: "Conheço muito bem o laboratório do Rui, que é enorme e com muita gente trabalhando. Ele sempre foi o "cara da produção científica"!! As pessoas que trabalhavam com ele se "achavam" os melhores do pedaço por ele ter nome e prestígio no mundo científico. Claro que isso deve ser apurado, mas duvido que não tenha havido má fé na publicação desses resultados"

Então, caro amigo, me diga, o que ele fez pela ciência além de publicar centenas de artigos? Já que conhece o trabalho dele, me aponte UM artigo do laboratorio dele que seja altamente citado, que tenha feito uma contribuição relevante pra ciência. Por favor, me aponte UM trabalho dele! Só peço um...
Esse cidadão, não produz CIENCIA, ele produz artigos, só. O seu curriculo é apenas numero, ennhuma contribuição real para ciencia. Me diga qual o trabalho dele que todo mundo diz:"ooooo que trabalho significativo". Duvido mostrar um, esse cara não faz ciencia, e quem acha ele bom cientista não sabe o que é ciência.

Anônimo disse...

O anonimo das 05:10h acaba de descrever a meta da ciencia brasileira. Publicar um monte de papéis sem nenhum propósito.

Nossos grandes publicadores nunca geram nenhuma análise final de seus trabalhos. Muitos nem tem uma linha de pesquisa. Sabem apenas esporrar trabalhos.

Num sistema destes, apenas fraudes podem prosperar. Temos no Brasil pesquisadores beirando 1000 artigos, o que é quase recorde mundial. Nos torna melhores em que?

Anônimo disse...

Pronto! Mais um artigo do seu Curi com problemas. Um artigo (que eh um quasi-auto-plagio de outros 2 trabalhos) foi CORRIGIDO. Esse trabalho tambem havia sido denunciado pelo Science Fraud.
http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0024320513000428

Anônimo disse...

...e notem que apontaram mais irregularidades no site do Retraction Watch, em outros estudos... Tem mais gente investigando. Porque naum fazerem também?

Aposto que tem muito cachorro nesse mato!..

Anônimo disse...

Excelente texto. Obrigado. Recomendo reacompanharem a historia em:

http://retractionwatch.wordpress.com/2013/01/23/curi-us-author-whose-lawyers-threatened-science-fraud-corrects-a-paper-the-site-criticized/#more-11964

Anônimo disse...

O CNPq vai apurar, really? Qual CA, o no qual ele é PQ 1A? Os caras que revisam esses papers? Os editores dessas revistas?

Está é na hora da vergonha na cara, apuração dos fatos com transparência. Se ele não foi culpado (difícil pelos motivos já citados aqui) que os primeiros autores sejam reponsabilizados. Papers de pessoas como David Baltimore já foram retratados, as pessoas devidamente (eu espero) responsabilizadas e o PI continua tranquilo, com a reputação em alta.

Agora, aonde a pressão é maior, no laboratório do Curi ou no do Baltimore (Nobel)?

Chega de publiquismo!



Mário Manzanni disse...

Muito bom o texto! Infelizmente na comunidade científica há muita pressão para publicar, e muitos cientistas brasileiros vem fraudando trabalhos constantemente! Alguns trabalhos são questionados dentro do próprio laboratório onde foram realizados, pelos próprios colegas mais atentos! Entretanto, alguns professores/orientadores sem ética (e cujo ego está acima de qualquer coisa!) direcionam a pesquisa no sentido da fraude, para conseguirem publicações em revistas de maior impacto! Analisando artigos de renomados professores da USP, Unifesp,Unicamp, Butantan, UFSCAR, USP Ribeirão, bem como tantas outras instituições brasileiras, é possível identificar indícios de fraudes em toda parte: técnicas irreprodutíveis, dados que não corroboram com outros dados da comunidade científica mundial, bem como resultados que são descaradamente fraudulentos, como o do exemplo supracitado! Espero que esses fraudadores sejam desmascarados em breve, pois mentiras não condizem com a ciência, cujo objetivo é descobrir a "verdade no universo", e não inventar verdades para se ter renome!

Anônimo disse...

Vale comentar que o que o CNPq chama de "investigar" é meramente aguardar o parecer da universidade sobre o caso.

Como o Curi vai ser investigado pelos colegas, que dependem dele já que ele é o 1A, e andaram assinando uma carta de apoio no departamento, eu duvido muito que essa pizza esteja sequer apimentada.

Anônimo disse...

Alguém tem alguma novidade do caso? Caminha para algo sério ou pizza?
Pelo que estou vendo esse assunto não está sendo discutido como deveria nas universidades.

Anônimo disse...

Caro 13:21h

Este assunto continua sendo tabu. Todo mundo desconversa ou diz que é esperar para ver o que acontece.

Óbvio que vai dar em pizza, no máximo vai ser punido um aluno, mas nunca o 1A. Ou vai ser como o Airioldi e o Coller: transferido para outro lugar por um tempo com regalias para ser esquecido e continuar agindo.

Anônimo disse...

Quem pesquisa no Brasil?

Os alunos escrevem os seus projetos, desenvolvem a pesquisa, e escrevem e publicam os resultados. Em vez de ser feito por pesquisadores experientes, a ciência brasileira é feita por pessoas com pouca experiência.

O que os professores/pesquisadores fazem? Se muito leem o que os seus alunos fazem e raramente acompanham os seus alunos no dia a dia. Se tornaram burocratas, sentados em uma mesa. Buscam dinheiro para os seus laboratórios e fama, usando as publicações de seus alunos, e fazem política; muita política. São formados para serem pesquisadores, não tem nenhuma experiência administrativa durante a sua formação, e quando passam no concurso se tornam administradores; a grande maioria incompetentes.

Um burocrata não é um pesquisador. Um político não é um pesquisador.

A ciência no Brasil está em uma situação deprimente, entrou em um circulo vicioso, pois os alunos estão sendo mal formados e quem comanda a ciência são burocratas e políticos. Neste sistema todo finge que faz ciência. E a fraude é uma mera consequencia dessa situação. E há muita fraude!

Como resolver?

Pesquisador tem que fazer ciência. Professor tem que dar aula. Aluno tem que aprender. E a Universidade tem que ser administrada por pessoal adequadamente treinado. E a política não pode fazer parte do cotidiano universitário.

Dificil? Parece ser impossível.



Anônimo disse...

ao anonimo 5:10

Saturated fatty acids produce an inflammatory response predominantly through the activation of TLR4 signaling in hypothalamus: Implications for the pathogenesis of obesity, 2009; 109 citacoes.

Diabetes associated cell stress and dysfunction: Role of mitochondrial and non-mitochondrial ROS production and activity, 2007; 177 citacoes.

Molecular mechanisms of glutamine action, 2005; 107 citacoes.

S-nitrosation of the insulin receptor, insulin receptor substrate 1, and protein kinase B/Akt: A novel mechanism of insulin resistance, 2005; 106 citacoes.

Expression and localization of prestin and the sugar transporter GLUT-5 during development of electromotility in cochlear outer hair cells, 2000; 129 citacoes.


Anônimo disse...

Para o Rui Curi aprender como se faz como gente grande:

http://www.sciencedirect.com/science/article/pii/S0092867410010731

Anônimo disse...

2 revisões (revisão não é pesquisa) e 3 artigos que são de OUTROS pesquisadores (o Curi é apenas colaborador, não IDEALIZADOR dos projetos).

Fail, anônimo de 12 de fevereiro de 2013 19:34

Anônimo disse...

Ao 19:34h

Excelentes exemplos de artigos possivelmente manipulados que acabam de cair em descrédito depois dessa confusão internacional... Uma pena! E tudo pq tem o Curi no meio dos autores, provavelmente só de enfeite.

Acompanhe só como fica a taxa de citação deles daqui para frente... se nunca vierem a ser retratados tb! A imagem é tudo que o cientista possui, e infelizmente nunca foi uma prioridade nacional...

Anônimo disse...

E ninguém vai falar no outro caso de fraude que o Science Fraud derrubou, agorinha, aí em Sao Paulo ?

Anônimo disse...

Ao anonimo 19:34
"Saturated fatty acids produce an inflammatory response predominantly through the activation of TLR4 signaling in hypothalamus: Implications for the pathogenesis of obesity, 2009; 109 citacoes." ----> Curi é co-autor! Não é do laboratorio dele.

"Diabetes associated cell stress and dysfunction: Role of mitochondrial and non-mitochondrial ROS production and activity, 2007; 177 citacoes."
-----> review e não artigo original.

"Molecular mechanisms of glutamine action, 2005; 107 citacoes." ---> Review novamente.

"S-nitrosation of the insulin receptor, insulin receptor substrate 1, and protein kinase B/Akt: A novel mechanism of insulin resistance, 2005; 106 citacoes." ----> novamente não é do laboratorio dele, ele é co-autor.

"Expression and localization of prestin and the sugar transporter GLUT-5 during development of electromotility in cochlear outer hair cells, 2000; 129 citacoes." -----> co-autor novamente, não é do lab dele.

Esses artigos só reforçam isso. Curi é um grande politico. Seus papers com maiores citações são artigos de outros laboratorios em que ele participa como co-autor e revisões. Me mostre UM artigo do laboratorio dele (que ele seja ultimo autor, tem que explicar já que o anonimo não sabe o que significa a ordem os autores no paper) que tenha varias citações, que seja o artigo que contribui pra ciencia! Não há, a importancia desse senhor não é como cientista, mas como politiqueiro, fazendo parte do trabalho dos outros e escrevendo revisões. E as agencias de fomento não tem porque dar dinheiro pra um laboratorio que não faz nada de importante, a não ser escrever revivões com 20 autores e participar de estudos dos outros e não da linha de pesquisa dele.

Anônimo disse...

Quem é Coller? Acho que o leitor das 13:21h quis dizer L. Gomes...

Informante disse...

E mais uma erratum dos Curis acaba de sair.

http://retractionwatch.wordpress.com/2013/01/23/curi-us-author-whose-lawyers-threatened-science-fraud-corrects-a-paper-the-site-criticized/#comment-49411

Anônimo disse...

Pizza?

Informante disse...

E saiu mais uma outra errata:

http://joe.endocrinology-journals.org/content/216/3/X1.full.pdf

Tudo parte de uma cena para justificar depois para o povo, junto com o repentino silencio da mídia, que foi tudo um mero engano, e assim sair impune.

Cabe aos leitores continuarem levantando falhas nos trabalhos e cobrando por justiça neste caso.

Anônimo disse...

Parece que o Rui Curi virou fregues do Retraction Watch:

http://retractionwatch.wordpress.com/2013/02/28/another-correction-for-rui-curi-whose-legal-threats-helped-force-shutdown-of-science-fraud-site/

Anônimo disse...

Já acabou essa história?

Anônimo disse...

Não. A USP abriu um processo para uma apuração !rigorosa". Ou seja, cachorro tomando conta de linguiça. A USP é parte interessada e o Cury é do clube dos cardeais da USP. Quem deveria investigar isso é a Polícia e o Ministério Público. Visite naofoiplagio.blogspot.com.br

Anônimo disse...

Cabou nada!! Oia nois aqui otra veiz


http://retractionwatch.wordpress.com/2013/04/29/streisand-effect-meets-a-tough-editors-as-journal-retracts-already-corrected-paper-by-rui-curi/


Ja o camarada do naofoiplagio podia postar mais alguma coisa nova no blog dele neh!!

Anônimo disse...

Acharam o culpado: É o denunciante
http://www.adusp.org.br/index.php/defesa-da-universidade/105-condicoes-de-trabalho/1053-consultoria-juridica-propoe-suspensao-para-professor-do-icb-antes-mesmo-de-iniciado-o-processo-disciplinar

Sou o autor do naofoiplágio.blogspot.com.br. Achei plagio nas teses de sete professores da UFSC e encaminhei ao MPF. Aquela Universidade defende que o material que encontrei não configura plágio, e assim mantém sua avaliação de cursos de contabilidade “cinco estrelas”. O material está a disposição para que todos os interessados leiam e tirem suas conclusões. Após encontrar esses problemas fui afastado de minhas disciplinas, pois os alunos reclamaram que eu fazia chamada e cobrava a leitura semanal de vinte páginas. Também me cortaram o ponto durante o recesso escolar, afinal fui único professor da UFSC que não trabalhou oito horas por sai entre natal e o ano novo. Além disso, desclassificaram minhas patentes devidamente registradas de forma a anular minha carga de pesquisa e aumentar minha carga em sala para 16 horas semanais. Enquanto isso, as pessoas altamente produtivas que não perdem tempo com citações continuam na chefia do departamento gerenciando quem vai passear no exterior para mostrar suas publicações feitas de forma eficiente.
Não posso me estender muito em comentários devido ao sigilo de justiça. Mas, apesar dessa prática estar sendo defendida pela AGU, o MPF está atuando de maneira séria e chegando a conclusões opostas as pregadas pela UFSC. Em brevo o naofoiplagio.blogspot.com.br divulgará novos materiais.

Anônimo disse...

Mais coisa acaba de sair: http://retractionwatch.wordpress.com/2013/06/07/a-mega-correction-for-rui-curi-whose-lawyers-threated-to-sue-science-fraud-org/

Não sei o que o CNPq está esperando para inocentar logo ele nos jornais. Bem sabemos que no Brasil somente existe seriedade e profissionalismo.

Anônimo disse...

Na UFSC também teve uma retratação: O cara que achou plágio nas teses de sete professores se retratou e trocou o termo plágio por "cópia não citada"
Veja em naofoiplagio.blogspot.com.br

Anônimo disse...

O professor do não foi plágio foi enquadrado pela reitoria. Todavia esse post sobre a retratação pode ser visto em: http://cienciabrasil.blogspot.com.br/2013/05/autor-do-blog-isso-nao-e-plagio-faz-uma.html
Nesse endereço há um link para todos os trabalhos com cópias não citadas.

Anônimo disse...

É meu caro, o único detalhe que você esqueceu é que a CIAC é liderada por co-autor de Curi, como denunciado nos comentários do Retraction Watch. Paulo Beirão publicou anteriormente com o acusado:

BEIRÃO, P. S. L. . Canais iônicos e eletrogênese nas células excitáveis. In: Rui Curi; Joaquim Procópio. (Org.). Fisiologia Básica. 1ed.Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2009, v. , p. 92-114.

E também esteve em Abril no ICB como convidado palestrante, ainda quando o Curi era diretor do Instituto. Eu nunca vi em instituição nenhuma do exterior um pesquisador ser inocentado por ter falsificado imagens de Western Blotting, só aqui no Brasil mesmo...

O CIAC basicamente atesta que é impossível ser condenado por fraude no país, porque se isso não é considerado fraude, eu não sei mais o que pode ser.

Leandro R. Tessler disse...

O comentário anônimo acima aponta um fato no mínimo curioso. No blog do Herton Escobar há um comentário que indica que um dos membros da CIAC é coautor com o Prof. Curi. Busquei os nomes de todos os membros da CIAC no currículo Lattes do Prof. Curi mas não encontrei nada. Achei que se tratava de alguma intriga. Pura ingenuidade minha. No currículo Lattes do Prof. Beirão aparece a referência citada no comentário acima. Ocorre que não se trata de co-autoria, mas de um capítulo escrito pelo Prof. Beirão em um livro organizado pelo Prof. Curi. Ou seja, o Prof. Beirão foi convidado pelo Prof. Curi para escrever um capítulo para o livro. O CNPq deveria ter muito mais cuidado ao nomear os membros da CIAC. A comunidade científica brasileira certamente tem especialistas que nunca tiveram vínculo algum com o Prof. Curi e que poderiam ter produzido um parecer sobre o caso. Como foi feito, sempre ficará a suspeita de não-isenção sobre a CIAC.

Anônimo disse...

Achei este post procurando atualização sobre a(s) fraude(s) do Mario Saad, um caso muito mais patológico que e o do Curi, casualmente co-autor do Saad no artigo denunciado, com as mesmas práticas (ou devo dizer técnicas?) de manipulação de imagens.
Saad foi além do Curi, conseguiu uma comissão sindicante de compadres, colegas de projetos financiados por agência de fomento. Foi inocentado pela instituição, é claro. Mas não foi no exterior. Também usou de advogados para intimidar.
Imagino que isso é tratado neste blog. Vou procurar agora.

Creative Commons License
Os direitos de reprodução de Cultura Científica são regulados por uma Licença Creative Commons.