quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Você trataria uma dor lombar com quiropraxia?

A quiropraxia é uma das práticas de Medicina Complementar e Alternativa mais populares nos Estados Unidos. Em 2002 15 milhões de americanos (7,4% da população) buscou esse tipo de tratamento.


Um dia você acorda com uma dor forte lombar. Eu conheço bem a situação porque passei por ela. Não dá para se levantar da cama de tanta dor. É desesperador. Qualquer pequeno movimento resulta em muita dor.
Cena 1. Você procura um ortopedista. O médico está com um avental branco, se apresenta como "Doutor Fulano". Ele solicita uma radiografia e talvez exames complementares. De posse dos resultados e após uma conversa e exame clínico ele chega a um diagnóstico. Ele pode sugerir uma medicação, fisioterapia ou talvez até uma cirurgia se isso for indicado para o caso. De qualquer forma, dores lombares levam tempo para serem curadas e o desconforto pode ser grande.
Cena 2. Você procura um quiropraxista. Ele está com um avental branco, se apresenta como "Doutor Sicrano". Ele talvez solicite uma radiografia, e de posse dela, após uma conversa examina minuciosamente sua coluna. Ele chega com segurança ao diagnóstico: uma "sub-luxação" ou desajuste entre algumas vértebras está comprimindo um nervo, e isso é a causa a dor. O tratamento é simples. Nada de medicação ou cirurgia, mas em lugar disso faremos um ajuste da coluna, através de técnicas de manipulação das vértebras para desfazer a "sub-luxação". A manipulação pode ser vigorosa ou até um pouco violenta, mas isso é porque as forças que atuam sobre as vértebras são intensas. O quiropraxista garante que ao contrário de medicação, fisioterapia ou cirurgia o ajuste não oferece riscos ou efeitos colaterais. Após um certo número de sessões você deverá estar bem, mas seria recomendável passar por ajustes preventivos uma vez por semana ou pelo menos a cada mês. Possivelmente pelo resto da vida para garantir a manutenção do alinhamento vertebral. De qualquer forma, dores lombares levam tempo para serem curadas e o desconforto pode ser grande.


Que há de errado com a cena 2? Tudo ou quase tudo. Comecemos pela forma de tratamento: nos países de língua inglesa, o título "Doutor" está reservado aos que completaram um doutorado. Vale lembrar que nesses países Medicina e Direito são cursos de pós-graduação. Aqui no Brasil vários profissionais se intitulam "Doutor", portanto isso não deve ser grave, mas dá uma aura de autoridade e de conhecimento médico ao quiropraxista. Não é normal tratarmos fisioterapeutas por "Doutor".


Aí vem o pior:
1. Nervos não podem ser pressionados por vértebras desalinhadas. Quando uma vértebra se desloca a ponto de comprimir um nervo não há manipulação vertebral que resolva.
2. As vértebras não se desalinham nas atividades do dia-a-dia.
3. Não há evidências de que "sub-luxações" existam.
4. Não há evidências de que os quiropratas possam detectar de forma reprodutível as "sub-luxações". Num experimento nos EUA uma pessoa sadia consultou 4 quiropratas diferentes e os 4 encontraram consistentemente "sub-luxações". Só que em 4 vértebras distintas!
5. Não há evidências de que a manipulação das vértebras tenha algum efeito benéfico sobre a saúde. Talvez traga uma sensação de bem estar como qualquer outra forma de massagem.


O artigo mais completo já escrito sobre o assunto, com análise minuciosa de 208 citações já está disponível na web mas ainda não publicado. O autor Edzard Ernst é pesquisador no Centro de Medicina Complementar da Universidades de Exceter e Plymouth na Inglaterra. A conclusão é clara: "A manipulação (vertebral) é associada a freqüentes efeitos adversos moderados e com complicações sérias de incidência desconhecida. Sua eficácia em termos de custos não foi demonstrada de forma incontestável. Os conceitos da quiropraxia não estão baseados em ciência sólida e seu valor terapêutico não foi demonstrado de forma incontestável." O mesmo autor vai além num editorial de outra revista científica: É impossível estimar corretamente o risco de uma complicação grave nesse tipo de procedimento. Os quiropratas mais otimistas sugerem entre 1 em 400.000 e 1 em 1 milhão. Na verdade deve ser muito maior devido a um número enorme de casos não documentados. Não importa. "Concluindo, a manipulação da coluna está baseada em conceitos patológicos duvidosos e portanto carece de plausibilidade biológica. Seus riscos podem ser consideráveis e seus benefícios não foram demonstrados em testes rigorosos. O que segue é óbvio: os benefícios da manipulação da coluna não justificam os riscos".

Você trataria mesmo sua dor lombar com quiropraxia?
Você trataria qualquer dor com quiropraxia?

66 comentários:

Anônimo disse...

Aí Professor Tessler!!!
Acho que você ta morrendo de vontade de fazer um ajuste hein?
Ta convidadíssimo, quando quiser será bem vindo!!!
Beijão
SERENA ELUF

Anônimo disse...

entao...como eu posso tratar uma dor lombar sem que o ortopedista me mande entrar na faca!??! vc sabe alguma simpatia??
acho q vc precisa de um ajuste mesmo...ta afim?

Ronaldo Tamaribuchi

Anônimo disse...

Bom Dia Professor, sou estudante de Fisioterapia e Quiropraxia, gosto muito da área, e por isso costumo estudar um pouquinho o assunto.
Qual a área de atuação profissional do senhor? acredito que não seja nada na área de saúde, pois estaria fazendo papel de idiota escrevendo estas "idiotices".
Porque não procura a Universidade Anehmbi Morumbi ou Universidade FEEVALE para maiores esclarecimentos sobre a profissão de Quiropraxia, assim aumentaria seu nivel de conhecimentos gerais e não faria papel de idiota neste assunto.
Abraço e para maiores informações pode procurar um profissional graduado, que com certeza sua visão irá mudar sobre a Profissão de Quiropraxia.

Anônimo disse...

Acredito de verdade que tudo o que Sr. relatou mostra de forma bem nítida o quanto sua mente é obtusa e seu campo visual a acompanha.
Se a quiropraxia é realmente tudo isso que o Sr. ilustrou em seu "texto", poderia me explicar: 1.porque a classe dos fisiterapeutas estão tentando, não somente bloquear a regulamentação da profissão no Brasil, mas, também incorpora-lá? e 2.Será que a Organização Mundial de Saúde até o momento ainda não se deu conta destas informações? Acredito que seria interessante que o Sr. encaminhasse este texto à OMS, logo, das duas, uma, ou a OMS voltaria atrás quanto ao reconhecimento dos beneficios e eficácia do trataqmento quiroprático para algumas especificidades, ou, procuraria o Sr. para questionar sobre sua formação.
Interessante não!?!

Leandro Siqueira.

Leandro R. Tessler disse...

Comentário sobre os 4 comentários.

1. Agradeço as simpáticas ofertas de ajustes. Acho que sou desajustado demais para isso.

2. Ronaldo, há casos em que dores lombares em que cirurgia é indicada. Outros não. Os ajustes não substituem o atendimento médico especializado.

3. O anônimo que me acusa de fazer papel de idiota não merece resposta. Aprecio as pessoas que assumem suas opiniões. As referências acadêmicas dele não são as mais prestigiadas no país. Como estudioso da área ele certamente acompanhou o que ocorreu quando um grupo de pessoas tentou abrir uma escola de quiropraxia na Florida State University há poucos anos.

3, Meu xará Leandro, não é ofendendo as pessoas com quem não concorda que suas idéias vão ganhar força. Sua pergunta (1) deve ser dirigida aos fisioterapeutas, não a mim. O único documento que conheço da OMS sobre quiropraxia em lugar algum faz juízo sobre a eficácia da quiropraxia. Ele identifica a quiropraxia como uma forma de medicina complementar e alternativa e reconhece que muita gente busca esse tratamento. O documento propõe diretrizes para a formação do profissional com o intuito de proteger o público de acidentes e manipulações vertebrais com efeito
nocivos. Nada mais justo. Vale lembrar que a OMS tem também um documento parecido sobre acupuntura.
O objetivo desse blog não é tomar posição contrária ou favorável a nada, mas chamar a atenção das pessoas para o que é ciência e o que parece ciência mas não é. Esse é o caso da quiropraxia.

Thomas disse...

Qual seria sua formação?Professor em que?

Leandro R. Tessler disse...

Caro Thomas,
Minha formação está no meu perfil.
O objetivo do blog é discutir Cultura Científica. Meu treinamento em pesquisa e ciência me qualifica para isso. Eu jamais faço afirmações, mesmo na minha área de especialização, que não tenham suporte em literatura científica especializada prestigiada. Nesse sentido, Nature, Science ou The Lancet têm um padrão científico mais elevado e mais prestígio do que por exemplo o Journal of Chiropractic Medicine. Da mesma forma, instituições de ensino e pesquisa reconhecidas internacionalmente nos meios científicos terão mais credibilidade do que as menos prestigiadas.

Anônimo disse...

Posso fazer uma pergunta?
O que o senhor entende sobre quiropraxia?
O senhor já viu algum ajuste?
O senhor já recebeu algum ajuste?

Creio que não seja prudente sair por ai escrevendo e publicando artigos sobre o que o senhor NÃO TEM CONHECIMENTO.
E a propósito, artigo sobre "fulano de tal" citou isso, não me é válido.
Se o senhor não gosta de quiropraxia, ou simplesmente não sabe do que se trata, antes de qualquer coisa, se informe COM PROVAS claras e originais, depois expresse sua opinião.

Leandro R. Tessler disse...

Senhor anônimo,
1. Esse blog é meu e escrevo sobre o que me interessa e como eu quiser.
2. Não escrevo em função do que eu gosto ou não, mas sobre Cultura Científica. Separar o joio do trigo, a pseudo-ciência da ciência. A quiropraxia é um dos mais bem acabados exemplos de pseudo-ciência que tem milhões de seguidores pelo mundo.
3. Independentemente de seu julgamento a respeito de Edzard Ernst, ele é um pesquisador sério e conceituado no meio científico (provavelmente não no meio pseudo-científico).
4. Se o senhor conhece alguma prova científica da existência de sub-luxações ou dos efeitos benéficos das manipulações da coluna para curá-las, por favor envie-me e terei todo o prazer em analisá-la. Se for o caso mudarei de posição. Senão continuarei denunciando a quiropraxia como pseudo-ciência. A maior vantagem da ciência é que ela é dinâmica e muda a partir de novas evidências. Ao contrário uma célebre pseudo-ciência até hoje acredita em conceitos no mínimo esquisitos, propostos por seu guru, como inteligência inata mesmo depois de se ter entendido os processos da condução nervosa.

Anônimo disse...

Olá!
Meu nome é Grégory Callegari, Porto Alegre, RS.
Sobre o texto, na minha opinião tem literalmente algumas "baboseiras" escritas de forma genérica e afim de tripudiar os profissionais em questão. As ituação apresentada é relativa e depende de cda profissional. Informações colocadas, principalmente a respeito da Quiropraxia, estão equivocadas e o autor deve-se informar melhor.

Obrigado pelo espaço.

Leandro R. Tessler disse...

Caro Grégory,
Esclareço que o autor informou-se, como costuma fazer, nos mais prestigiosos periódicos científicos e da área médica disponíveis, além da MedLine.
Continua valendo o ítem 4 da resposta anterior. Se alguém tem um artigo que atende aos critérios científicos mais elementares e que prove a existência das sub-luxações e os efeitos terapêuticos das manipulações da coluna por favor mande para mim. Eu nunca encontrei, e olhe que tenho acesso a muita literatura científica e bancos de dados.
Em lugar algum na postagem eu tripudio dos profissionais da área. Eu apenas chamo a atenção para o fato de quiropraxia nunca ter sido demonstrada como uma prática médica com efeito terapêutico superior ao efeito placebo. Mais que isso, ela se propõe a curar condições (as sub-luxações) que nunca foram demonstrados como fonte de de qualquer problema de saúde. Fique a vontade para se submeter a sessões de quiropraxia.
Mas uma pessoa racional deveria considerar o fato de que os riscos de acidentes (ainda que pequenos) não justificam os supostos benefícios para a saúde (inexistentes, segundo toda a literatura científica disponível).

sadi disse...

Olá professor, é de admirar que uma pessoa que se caracteriza como professor e doutor em física, tenha tal pensamento com relação a Quiropraxia. É de conhecimento de todos que ao longo do tempo são desmentidos fatos que no passado eram considerados verdade e que graças a Professores, Físicos, Cientistas,e Pesquisadores as verdades vão sendo desmanteladas e surgindo novas verdades originada de novos estudos e pesquisas tecnológicas.
Primeiramente desejo repudiar a forma como seu comentário foi dirigido aos profissíonais que por longo período frequentaram uma faculdade até a conquista do Bacharelado em Quiropraxia assim como o Sr. que como professor deveria abrir sua mente para novas técnicas e novos conhecimentos não tentando denegrir o trabalho de seus colegas Professores em universidades espalhadas pelo mundo. Dizer que os Quiropraxistas se entitulam Doutores não é verdade, e no seu comentário "Dr. sicrano??" dando um tom caipira e até pejorativo aos profissionais que por longo período estudaram e continuam com especialização, pós graduação e Doutorado assim como o Sr. a fim de conquistar seu espaço na sociedade promovendo o bem estar as pessoas.
Até bem pouco tempo! lembra? a Fisioterapia, a Acupuntura entre outras, também sofriam a pressão dos médicos alopatas "donos do conhecimento e da verdade" (corporativistas) que trilhavam no caminho contrário as novas práticas por ignorância. Hoje estas profissões são reconhecidas e são de grande valia aos médicos Doutores. Vamos lá Professor abra sua mente pare de achar que sabe tudo, informe-se. Ah experimente o Sr. frequentar quatro médicos de sua confiança sugerindo que tenha algo de errado com o Sr. leve as receitas para casa e tome todos os "remédios" que lhe passarem depois faça seu comentário.

Cordial abraço:

sucesso aos Quiropraxistas que estão se multiplicando pelo Brasil.

Sadí Muraro e-mail sadi@hy.com.br

Aos seus alunos meus sentimentos, não se pode ter tudo.

Leandro R. Tessler disse...

Caro Sadi,
Obrigado por seu comentário. Acho muito legal que você perceba a ciência como um caminho para entendermos novas descobertas. Os cientistas também pensam assim.
No entanto, se você leu com atenção o meu artigo e buscou a referência do Edzard Ernst deve ter notado que a restrição em relação à quiropraxia, assim como a muitas práticas médicas complementares e alternativas é que após muitos testes não há evidência alguma de que quiropraxia tenha qualquer efeito terapêutico acima do efeito placebo. Mais que isso, o mecanismo proposto para seu suposto efeito não encontra suporte nos fatos. A condução nervosa não envolve "energia vital". Pior, nem existe uma "energia vital".
A Fisioterapia está baseada em conhecimento às vezes empírico, às vezes científico. Pode-se correlacionar causa e efeito, ao contrário das supostas sub-luxações e terapias de manipulação da coluna. A manipulação da coluna por quiropraxistas apresenta riscos pequenos mas que já levaram à morte de pacientes. Acupuntura, assim como quiropraxia, nunca demonstrou um efeito terapêutico maior que o efeito placebo. Homeopatia, que no Brasil é considerada especialidade médica, nunca demonstrou efeito maior que o efeito placebo. Um desafio da ciência contemporânea é entender melhor o mecanismo bioquímico ligado ao efeito placebo.
Devemos manter a mente aberta para novos fenômenos e fatos, desde que esses fenômenos e fatos existam de verdade, além da nossa vontade de que eles existam.
A propósito, já fiz o teste de consultar vários médicos. Eu tenho uma dislipidemia meio rara. Dos 4 médicos consultados, 2 não chegaram a um diagnóstico e tiveram a honestidade de me dizer que precisavam estudar mais para entender meu caso. Dois pediram uma biópsia, que foi feita e confirmou que não tenho nada de grave. O bom do método científico é que nos permite um contato muito próximo com a realidade.
Um abraço para você também.

Marionete de Carne disse...

Professor, eu tenho uma duvida, pq q a fisioterapia eh considerado ciencia?
pq eu dei uma leve pesquisada no google e naum me pareceu muito cientifico naum.
gostaria q me respondesse.
como faço pra enviar email direto para o senhor?

desde jah obrigado!

Leandro R. Tessler disse...

Caro Marionete de Carne,
Sua pergunta faz todo sentido do mundo. Fisioterapia não pode ser considerada uma ciência se radicalizarmos a definição de ciência. No entanto nas práticas ligadas à saúde é importante podermos relacionar causa e efeito, como a ciência faz. Tratamentos fisioterápicos (talvez não todos, mas muitos) apresentam efeitos maiores que o placebo em testes duplo cego. Isso não ocorre com a quiropraxia, pelo menos na imensa maioria de testes que foram feitos.
O efeito placebo não pode ser desprezado na prática médica, como discutido pelo meu colega Milton Lopes em um post recente, mas não é o mesmo que um mecanismo de ação terapêutica mais explícito.
Mande seu e-mail num comentário que eu respondo (não encontrei o seu em seu perfil...).

Marionete de Carne disse...

Muito obrigado pela resposta.
Eh q eu achei estranho q procurando em sites sobre fisioterapia, os textos encontrados, são muitissimos parecidos com os textos encontrados em textos de sites pseudocientificos, e outra coisa, sempre essas pessoas q curam usando bambuterapia, ou o caralho-a-quatroterapia são fisioterapeutas.
outra coisa q tbm ela naum eh uma especialização de medicina. e naum eh pq os medicos recomendam q deixa de ser pseudociencia, pq muitos medicos recomendam acupuntura e tbm placebo, q são aceitos pela medicina.
e essa questão de faculdade tbm naum quer dizer nada, pq aki em santo andre existe a faculdade holistica casa de bruxa, onde vc aprende a fazer poções magicas dentre outras.
obrigado desde jah!

o meu email eh:
pablomarionete@gmail.com

maria paula disse...

NOSSA.... esse ultimo comentário ai de cima fez com que o site perdesse até credibilidade... sugeria pra você "marionete de carne" primeiramente aprender a escrever corretamente, em seguida se não for muito para voce tentar ler alguma coisa inteligente(que não é o caso desse site) para ai sim ter uma opnião...
já sobre a quiropraxia esse professor ai está muito mal informado... mas não cabe a mim alimentar os que comem capim!!!

Leandro R. Tessler disse...

Como moderador desse blog, cabe informar que o comentário da Maria Paula é até educado comparado com alguns que tenho recebido nessa postagem e na de Naturebologia.
Eu venho recusando os comnentários mais agressivos e raivosos porque não acrescentam muito ao debate.
Acontece que não há suporte científico nem para a Naturebologia nem para a quiropraxia (já solicitei que me enviassem referências a estudos sérios que mostrem o contrário, mas até agora ninguém enviou nada). Os fiéis naturalmente ficam ofendidos quando alguém duvida da sua fé e reagem de forma mais agressiva do que seria de se esperar em um debate científico, por mais apaixonado que seja.
Por favor usem argumento racionais para debater. Ciência é ciência, fé é fé.

Marionete de Carne disse...

hauhauahuahuah
A famosa falacia de atacar o argumentador e naum o argumento.

"NOSSA.... esse ultimo comentário ai de cima fez com que o site perdesse até credibilidade..."

quer dizer entaum q um comentario de um "leitor" invalida todo o texto?
parabens vc eh muito criativa! como consegue usar tantas falacias num mesmo argumento?
mas naum para por ai...

"sugeria pra você "marionete de carne" primeiramente aprender a escrever corretamente"
essa tbm eh bem divertida, quer dizer q um argumento se invalida se a pessoa usa palavras de "internetês"?

"em seguida se não for muito para voce tentar ler alguma coisa inteligente(que não é o caso desse site) para ai sim ter uma opnião..."
vc deve ser daquelas pessoas q escutam pessoas inteligentes neh?
eh bem mais facil neh?
naum esqueca q pessoas inteligentes erram, mentem e dizem besteira.
se alguem escreve algo estupido, mas bem escrito vc leva em conta neh?
eu naum quero ler algo inteligente, quero FATOS.
naum importa quem vc seja, se vc PROVA algo, akilo eh valido.

"já sobre a quiropraxia esse professor ai está muito mal informado..."
minha amiga, falar ate papagaio fala... o q vc acha em relação as coisas naum muda a realidade.
vc tem argumentos, fatos, provas, ou esta apenas dizendo por dizer?

"mas não cabe a mim alimentar os que comem capim!!!"
cara essa eh a mais engraçada!
muito inteligente de sua parte usar esse tipo de argumento (viu? ate chamei de argumento esse xingamento de escola)

tente naum fazer papel de idiota novamente ao postar coisas por emoção e naum por razão.

eh soh pensar um pouquinho antes de escrever, vai lah, vc consegue!

Rafael disse...

Não entendi como um Blogg consegue fazer tanto barulho, nosso colega autor tem o direito de escrever o que quiser e como quiser, porém gostaria de deixar minha opinião referente a alguns pontos: 1 - NUNCA o autor tem o DIREITO de falar que está usando de metodologia ou embasamento científico, pois não o está fazendo. 2 - Creio que o autor deveria não só assinar o blogg, mas sim cada postagem, com seu nome e formação ao "rodapé" de cada """artigo""".
3 - O autor que tanto enfatiza artigos e embasamento científicos deveria fazer a citação do material utilizado.

No mais, eu levaria muito tempo para postar e não teria tempo para acompanhar o Blogg, fiz um comentário de cinco páginas sobre as três postagens, caso haja interesse por parte de alguém,principalmente do autor, peço que me escrevam - quiropraxia.rafael@gmail.com - eu envio o arquivo e aguardo ansiosamente um comentário.

Att. Rafael H. Santos

Anônimo disse...

Inacreditáveis os comentários. Sério, de ficar apavorado. APAVORADO. Tessler, pelo amor de Deus, ou das cordas vibrantes, o diabo: não perde tempo respondendo! Segue fazendo artigos, cada dia mais fáceis de ler, cada dia mais objetivos, pra dar um jeito nesse povão! É de doer! E curar com ajustes!!!

Anônimo disse...

Sem dúvida trataria uma dor lombar com quiropraxia por duas meras razões: 1.Não precisaria entrar num ciclo vicioso de medicamentos e 2. Pra não precisar expor minha coluna a 'faca' pois sabemos que toda cirugia envolve riscos, muitas vezes inreverssiveis.

-abraço'

Leandro R. Tessler disse...

Caro Anônimo,
O que leva uma pessoa a buscar um tratamento? Certamente a vontade de resolver um problema, que pode ser por exemplo uma dor.
A humanidade aprendeu bastante sobre mecanismos de dor, e estabeleceu drogas que oferecem tratamento sintomático para essa dor. Se você ler com atenção a bula de um anti-inflamatório muito usado, vai ver que ele pode causar uma hepatite medicamentosa que pode ser fatal. Por quê mesmo assim as pessoas usam esse anti-inflamatório? Porque o benefício certo de reduzir ou suprimir a dor é esperado e a probabilidade de uma complicação séria é muito muito baixa.
Ninguém se opera por prazer (exceto talvez na cirurgia plástica estética, algumas vezes com resultados desastrosos) ou toma medicamentos por prazer.
Por outro lado, tratamentos quiropráticos prometem reduzir dor através da manipulação da coluna vertebral. Isso pode até ocorrer temporariamente como no caso de uma boa massagem, mas como a dor não é causada pelas "sub-luxações", não ocorre cura nenhuma. E ao contrário do que muitos pensam, há sim riscos (baixos), inclusive de morte, na manipulação (às vezes violenta) da coluna.
Nesse caso temos o risco mas não o benefício. Portanto, sem dúvida não vale a pena submeter-se a um tratamento desse tipo.

Paulo disse...

O problema é que esse coorporativismo nocivo dessa classe monopolizadora do conhecimento, haja visto o "Sim pelo ato médico", bom que vou dizer... nem vou me estender em algo que é óbvio... não sou da área da saúde, faço meu tratamento quiropraxico há 1 ano e estou muito feliz com o resultado, e sei que a quiropraxia esta fundamentada em conceitos ciêntificos!!! "NÃO AO ATO MÉDICO", seus mercenários!!!!!!!!!!!!!!!!!!

traduzir_se@hotmail.com

Anônimo disse...

O Pior em um ser é a inveja, o despreparo e os comentário levianos produzidos por uma mente doente. Professor procure tratamento para tanta amargura e deixe de faler tanta asneira. Quiropraxia praticada por profissional formado e experiente, realmente faz muito mal a industria farmaceutica e aqueles que ganham dinheiro mantendo a dor no corpo fisico do paciente.

Edmilson disse...

Cara, não perca seu tempo respondendo esses comentários.

As pessoas aqui tomam como verdade o que lêem na revista Veja. Eles não fazem idéia do que seja uma revista científica, muito menos de um artigo indexado.

Aliás, tem gente aqui que não sabe nem interpretar um texto em sua própria língua nativa, e ataca a sua pessoa como se o artigo que fala que a quiropraxia não tem base científica nenhuma, fosse seu!

Tem gente que acredita que Anhembi Morumbi é referência para alguma coisa...tem outro que disse que não é prudente sair por aí escrevendo e publicando artigos sobre o que não tem conhecimento, e que antes de fazer isso o senhor deveria se informar com provas claras. Mas não foi justamente o que foi feito? hehe

Todos os simpatizantes da quiropraxia meteram o pau mas não teve um que tivesse o bom senso de contrapor suas idéias enviando um artigo, um estudo ou alguma coisa que provasse que a quiropraxia funciona.E nós sabemos bem por que isso não aconteceu,né?

Dá pra se assustar com a ignorância das pessoas...

Anônimo civilizado disse...

Fui assolado por lombalgias pouco intensas ano passado e, procurando evitar o agravamento do problema (e se possível curá-lo), procurei uma fisioterapeuta.

Os resultados das sessões ainda não surgiram (e já estou completando o segundo mês de tratamento), e, por isso, pensei em recorrer à quiropraxia.

Li o artigo e ainda achei outro, gratuito (o mencionado exige acesso pago ao site), em que o renomado professor Ernst ataca a quiropraxia: http://www.dailymail.co.uk/health/article-380655/Chiropractors-waste-time.html

Se ninguém me comprovar que a quiropraxia funciona, insistirei no velho método ... Os riscos realmente não valem a pena.

Excelente artigo! Abçs.

Obs: Os xingamentos e a falta de argumentação me lembram um post hilário do Blog do Cardoso onde ele desconstrói a imagem da J. K. Rowling, mostrando que Harry Potter é enganação e foi copiado de um livro lançado na década de oitenta. Isso despertou grande raiva na criançada. Aqui é o mesmo. A diferença fica apenas na idade dos comentadores hahaha

Anônimo disse...

Eis um bom argumento (pouco científico) contra a quiropraxia.

http://www.youtube.com/watch?v=erZfhI1eZLk&feature=related

Alguém se sujeitaria a ISSO!???

Pablo Valverde disse...

Professor Tessler,

Lê mais um pouco já que gosta

"O pior cego é aquele que não quer ver"

Você um dia vai ter dor nas costas e a comprovada ciência médica num vai te ajudar, e você vai lembar da quiropraxia e vai querer tentar e vai gostar e vai mudar a sua opinião.

Nem tudo na vida tem um resposta que nos parece razoável. Como o que acontece após a morte e para onde vamos de onde viemos?

Já que é tão científico me responde essas questões?


Searching the Research
The Chiropractic Library Collaboration (CLC), affiliated with the Association of Chiropractic Colleges, is currently comprised of chiropractic college libraries from Australia, Canada, England, New Zealand, United States and Wales. CLC creates the Index to Chiropractic Literature (ICL) and its accompanying thesaurus, Chiropractic Subject Headings (ChiroSH). Begun as a print index in 1979, the online ICL helps chiropractic clinicians, educators, students and researchers find the literature and other research resources they need.

The ICL is free online and has links to many Open Access resources that WFC members and others will find useful. The homepage is: http://www.chiroindex.org

Within the ICL section titled Open Access Library are links to many journals, books, articles, etc. Of particular interest to many will be the Free Research Articles: http://www.chiroindex.org/open-access-library/publications/free-articles

Check the ICL Web site for a wealth of other information.

ICL Editors:

Phyllis Harvey MLn, David D. Palmer Health Science Library, Palmer College of Chiropractic, Davenport, Iowa, USA, ICL Editor

Anne Taylor-Vaisey MLS, CMCC Health Sciences Library, Canadian Memorial Chiropractic College, Toronto, Ontario, Canada, ICL Co-Editor and Web Editor

http://www.wfc.org/website/index.php?option=com_content&view=article&id=194&Itemid=171&lang=en

Anônimo disse...

Caro Leandro,
Na minha opinião, o Edmilson disse tudo: é extremamente difícil discutir Ciência com pessoas que utilizam a fé, o mágico, o ilusório para justificar suas opiniões. Dar crédito científico a The Chiropractic Library Collaboration (CLC) é o mesmo que dá-lo a coleção de gibis do Maurício de Sousa
AbraçO,
Thiago

Ivan disse...

ótimo blo, ótimo post..

nesses ultimos tempos só tem aparecido besteiras tentando se transformar em ciência...
é "médiuns" tentando desesperadamente nos convencer que é reconhecido pela ciência..
homeopatia...
acumpultura...

que mané terapia alternativa.....

Anônimo disse...

Claro. Afinal foi a única coisa que aliviou as dores das minhas filhas indesejadas, hernia discal em L4-L5 e L5-S1. Corticóide cavalar, relaxante muscular, fisioterapia, "ameaça" de cirurgia...nada melhorava, ou seja, algumas doses whisky até que ajudavam. Já estava cansado de andar antálgico como um caranguejo.
Um abraço. Eduardo Rodrigues - Médico

Anônimo disse...

Ah, a espernaeada geral ( semi ) contra acupuNtura e homeopatia tem suas razões de ser...

Gabriela disse...

Olá professor Tessler.

Meu nome é Gabriela.

Sou estudante de Quiropraxia da universidade Feevale de Novo Hamburgo.

Gostaria de dizer ao senhor que dúvidas e equívocos em relação à Quiropraxia são normais, e que nós Quiropraxistas, estamos acostumados e preparados para lidar com isso.

Não gosto de indelicadezas. Convido o senhor, em nome de toda a classe quiroprática, de nos visitar nas dependências de nossa universidade. Serás muito bem recebido e esclarecido.

Segue meu e-mail: gabi_bi_91@hotmail.com

Obrigada pelo espaço.
Passar bem.

Leandro R. Tessler disse...

Gabriela,
Obrigado pela mensagem.
É importante passar bem , pois com uma postura inadequada na atividade o sujeito pode ter uma dor nas costas terrível que pode no desespero levá-lo a tratamentos de eficácia duvidosa!
Um abraço,
Leandro

Anônimo disse...

acho que você é um frustrado...faça uma terapia ou espere você precisar de um quiropraxista quando sua coluna travar...até mais! não esqueça que a consulta pra você é 300 reias.

Leandro R. Tessler disse...

Caro Anônimo,
Obrigado pela mensagem e pela recomendação.
Quando minha coluna "trava" eu costumo procurar um médico que é o profissional treinado cientificamente para tratar desses problemas.
Obrigado pelo desconto na consulta, mas continuarei procurando meu médico. A consulta dele é coberta por meu plano de saúde.

Rogério disse...

Caro professor Leandro, acredito que vale entender antes o que se acredita ser subluxação antes de qualquer conclusão.
Se qualquer forma, respeito sua opinião e a de alguns comentários citados, mas a prática ainda é a maior resposta.
Depois de ler abaixo, defina o que é científico ou método científico.
A SUBLUXAÇÃO

Talvez não haja assunto que gere mais controvérsia entre os quiropraxistas e outros profissionais da área da saúde do que a definição do Complexo Subluxação.
Segundo o Dicionário Médico Ilustrado Dorland ( Dorland's Illustrated Medical Dictionary, 1974, Saunders, Philadelphia), a SUBLUXAÇÃO é definida como uma dislocação incompleta ou parcial.

Devido a esta controvérsia, especialmente entre médicos, quiropraxistas e osteopatas, há uma tendência cada vez maior de se utilizar o termo "Complexo Subluxação" dentro da quiropraxia.

Segundo o CID -10 (Código Internacional de Doenças), "a subluxação é uma relação aberrante entre duas estruturas articulares adjacentes que pode ter seqüelas funcionais ou patológicas, causando uma alteração nas reflexões neurofisiológicas e/ou biomecânicas destas estruturas articulares, e/ou outros sistemas corpóreos que podem ser diretamente ou indiretamente afetados por estas estruturas."

Contudo, esta definição não contempla todas as facetas do que a subluxação representa dentro da quiropraxia.
De uma maneira simplística, podemos dizer que a subluxação cria uma interferência na comunicação entre o sistema nervoso e os demais sistemas por este controlado, causando disfunção do organismo, e quebra do equilírio - homeostase. De acordo com as mais recentes hipóteses em estudo, a subluxação pode ser causada por causas:

Biomecânicas: desalinhamento de vértebras, hipomobilidade por fixação, degeneração (fixação levando a degeneração- osteoartrose);
Neurológicas: compressão de raízes nervosas por compressão dos forames intervertebrais, compressão medular por desalinhamento entre as vértebras Atlas e Axis, alterações proprioceptivas (reflexos somato-somático, somato-autonômico, viscero-somático);
Tróficas: distúrbio no transporte axoplásmico neuronal, insuficiencia arterial vertebrobasilar, microcirculação, fluxo liquórico alterado;
Psicosociais: sistema reticular ativador, ansiedade e postura, etc
? Todas estas teorias ajudam a explicar como um ajuste manual de uma vertebra pode alterar todo o funcionamento de um organismo.
Para um estudo mais detalhado:


Leach,R., The Chiropractic Theories: A Synopsis of Scientific Research, 1986,Williams & Wilkins, Baltimore, pg 16.
Korr, I.M.,Ed., Neurobiologic Mechanisms in Manipulative Therapy,1977, Plenum Press, New York, 1977, pg.288.
Haldeman,S.,Ed., Principles and Practice of Chiropractic, 1992, Appleton & Lange, Norwalk, CT, pg.250
Abs

Quiropraxia.tv.br disse...

Ola Professor, se você queria levantar uma discussão e gerar visitas no seu blog, se deu bem com o tema. O que você me diz sobre o juramento de Hipócrates e o que esta ocorrendo com a medicina convencional?. Você tem ideia de quantos erros ocorrem todos os dias? e ai? quem julga estes erros?

Você sabe o que e lombalgia?. Eu sabia que você descreveria varias folhas para responder minha pergunta, mas vou ser mais simples - Lombalgia se define em um livro de aproximadamente 500 paginas. E para que servem os livros?. Para discutir e não para ofender os autores ou profissionais ou quem quer que seja. Ética é bem vinda em qualquer profissão.

Você é um especialista, e não precisa se utilizar desses meios para ter visitas no blog.

J. Elias

Anônimo disse...

Recentemente atendi uma paciente que "tratou" seu câncer de mama com homeopatia. Estava cheia de metástases pelo corpo. Talvez se tivesse utilizado quimioterapia desde o começo tivesse alguma chance.
Quem procura tratamentos sem embasamento científico se engana por um tempo, mas depois acaba pagando o preço.

Anônimo disse...

Esta desatualizado hem Dr procure se informar melhor !!

Anônimo disse...

Estou com dores lombares, por isso procurei no Google, algo que esclarecesse dúvidas da Quiropraxia, já que ha algum tempo atrás, fui recomendado pelo Médico ortopedista, a fazer sessões de fisioterapia e não as achei muito eficiente. Agora pretendo, por conta própria, recorrer a quiropraxia. Diante do colocado aqui, houve uma vasta manifestação dos profissionais. Confesso que fiquei confuso. O esclarecedor seria pessoas que fizeram este tipo de tratamento, colocasse seu testemunho.

Anônimo disse...

Eu sofria de dores na coluna.
Em 2010, fui em um ortopedista. Não resolveu. Sai do consultório com uma tala e uma receita com uma penca de remédios.
Então, um amigo me indicou a acupuntura. Nossa, que alívio!!!!
Em 4/5 sessões (que na época fiz 2 por semana), eu estava nova em folha. O profissional que me atendeu, recomendou que fizesse exercícios para fortalecer a coluna (sugeriu natação ou pilates ou musculação com ajuda e supervisão de um fisioterapeuta), e sessões de quiropraxia.
Fui ao quiropata, confesso que um pouco receosa. Ao sair do atendimento senti um conforto enorme.
Hoje mantenho as minhas sessões de acupuntura e quiropraxia.

Para quem sobre de dores na coluna eu RECOMENDO: acupuntura, quiropraxia e exercício para fortalecer a musculatura.

Leandro, tu não demonstra ter nenhum conhecimento sobre o assunto. Recomendo que faça uma pesquisas com as pessoas que já fizeram quiropraxia para verificar se existe ou não o beneficio. Não importa o que tu ACHA. Se não tem experiência prática no assunto ou dados consistentes, por gentileza,não fale sobre o assunto. Não interessa se o blog é teu ou não, temos responsabilidades pelo que falamos. Tu como um profissional da ciência deveria saber disso.

O que eu falo é baseado na minha experiência e na de amigos que também fazem tratamento através da medicina alternativa (quiropraxia, homeopatia, acupuntura).

Roberta Lopes.

Leandro R. Tessler disse...

Cara Roberta,
Obrigado pelo comentário.
Só para esclarecer uma coisa: esse blog é sobe Cultura Científica. O meu objetivo ao mantê-lo é convidar as pessoas a pensarem cientificamente, ou seja, a partir de um procedimento que chamamos de método científico.
A maneira correta de sabermos se um efeito está realmente ligado à causa à qual nós o atribuímos, no caso de saúde humana, consiste em realizar o que chamamos de experimento duplo-cego aleatorizado.
As mais respeitada fonte de informação científica sobre assuntos médicos é a Cochrane Collaboration. O mais recente artigo de revisão sobre todos os estudos duplo-cegos aleatorizados bem feitos sobre quiropraxia conclui: "Combined chiropractic interventions slightly improved pain and disability in the short term and pain in the medium term for acute/subacute LBP. However, there is currently no evidence that supports or refutes that these interventions provide a clinically meaningful difference for pain or disability in people with LBP when compared to other interventions.", ou seja:"Intervenções combinadas de quiropraxia melhoraram ligeiramente a dor e a incapacidade no curto prazo e dor no médio prazo para Dores na Coluna Lombas (DCL) agudas/subagudas. No entanto, não há atualmente nenhuma evidência que apóia ou refuta que estas intervenções resultam em diferença clinicamente significativa para a dor ou incapacidade em pessoas com DCL quando comparado a outras intervenções".
É isso o que a ciência tem a dizer, eu não acho nada.
Um grande erro das pessoas que não conhecem o método científico é associar sua própria experiência (ou de amigos) com um suposto fato bem estabelecido, como é o caso desse comentário.
Quase toda a medicina alternativa e complementar não tem efeito maior que placebo. Isso é o que os profissionais da ciência sérios podem afirmar.
Grande abraço.

CzechRiot disse...

Então, é o seguinte:
Tem muito "cientista" falando besteira, assim como muito "Doutor" fazendo besteira. Tem muitos médicos charlatões, ou sem ética, ou incompetentes. Tem muita arrogância e corrupção na medicina (muitos conchavos, indústrias farmac6euticas, etc). O que ocorre é que tudo isso acaba denegrindo o conceito de "ciência" e de "profissionalismo", especialmente pra massa das pessoas que não têm compreensão do que seja "método científico". As pessoas não estão muito interessadas se "estudos comprovam", "evidências demonstram", etc. tanto quanto estão interessadas se FUNCIONOU OU NÃO pra elas. E exatamente por isso é que drogas e comidas não-saudáveis são tão populareS. Pode ter 8 milhões de estudos demonstrando como cocaína e crack destroem a pessoa, e como Big Mac e refrigerante fazem mal, que a pessoa não vai levar isso em maior consideração do que a sensação real de bem estar que elas têm ao consumir estas coisas.
Uma outra coisa que percebo é que é muito comum na medicina profissionais "desinteressados". No sentido de que uma grande quantidade realiza a pratica da medicina como "trabalho", assim como um funcionário industrial, um motorista, ou qualquer outro emprego. Mas com a diferença que a medicina tem um status maior. O que acaba por de certa forma enaltecer a arrogância (seja porque pessoas arrogantes tendem a escolher profissões de "alto status", ou seja porque o "alto status" corrompe a pessoa, da mesma forma que a fama, por exemplo). No entanto, profissionais da quiropraxia (suposição minha) tendem a ser pessoas mais "próximas" dos pacientes, devido ao próprio estilo da terapia. Essas práticas como Yoga, massagens em geral, etc. envolvem um certo contato físico maior, que por si só já tende a ter um efeito (por exemplo, basta uma bonitinha ficar alisando meu ombro que seja, pra eu já me sentir bem melhor de qualquer mazela!!!). A quiropraxia, pelo que vejo, acaba sendo um misto de massagem e alongamento, coisas que por si só já tendem a aliviar dores e problemas musculares etc. Então o ponto não é se "quiropraxia é uma ciência", porque obvimente não é, assim como fisioterapia não é, nem massoterapia, nem culinária, nem musculação, nem yoga. São terapias, práticas, tratamentos, etc. Assim como um professor não é um cientista, e ensinar não é uma ciência. Agora, o fato de práticas de quiropraxia já terem levado alguém a morte não quer dizer NADA. Sendo que sob o mesmo argumento poderíamos descreditar quase todos os ramos da medicina... o que num falta é nego morrendo na mão de médico todo dia. Assim como já houve mortes em academia de musculação e em restaurantes, e em tudo. Pra tudo que existe já morreu alguém fazendo aquilo provavelmente.
Agora... pelo que eu vi, de fato os praticantes de quiropratia aparentam sobrevalorizar a efetividade da prática, alegando "consertar" deformidades. Problemas de postura, inflamações, "mal-jeitos", dores, etc. são coisas relativamente facilmente tratáveis. E sendo que a maioria dos "problemas de coluna" na verdade são decorrentes de má postura, leves contraturas, tensões musculares, etc., qualquer estímulo em oposição às forças que causem isso, será benéfico. Mas várias condições são efetivamente doenças, deformidades estruturais, lesões graves, e nesses casos, obviamente, o tratamento é mais difícil. Então a verdade é essa... tudo isso aí que eu falei.

Matos disse...

Em jan/2011 eu tive minha primeira crise de coluna..região lombar. Fiz o padrão: ida ao médico, injeção para dor, antiinflamatórios, RaioX, ressonância, fisioterapia, RPG. Após isso, ja fui em mais 3 médicos diferentes devido as crises constantes. Sempre a mesma conclusão( o que está na ressonância + raioX), porém todos se divergem quanto ao "o que fazer?". Meu histórico é um prato cheio: pratica de corrida de longa distancia, sentar relaxado no sofá, trabalhar mais de 9h sentado em frente ao computador etc etc. Após alguns anos de RPG, mudança de postura, mudança de treino de musculação, algumas fisioterapias, muitas caixas de remédio, para com esporte..volta com esporte (cada medico fala uma coisa), eu finalmente cedi a quiropraxia. Meu ajudou tanto, que me arrependo todos os dias de não ter ido na primeira crise em 2011. Voltei a correr, praticar esportes e ter vida normal. Claro que tudo acompanhado e voltado para fortalecimento de core e postural.

Dr. Bruno Campos disse...

Boa tarde Professor!
Qual a visão do professor sobre Matheus de souza e seu método e sobre Jason Gilbert nome muito forte da quiropraxia na atualidade e muito conhecido na mídia. Tenho mais uma dúvida como é a publicação de artigos científicos nessa área, já que não existe uma comprovação de seus efeitos. Abraço.

Tati disse...

Tenho protusão discal l5-s1 e já fiquei uma semana no hospital tomando Tramal sem que fizesse efeito nenhum em mim. Saí de lá com uma receita médica, dada pelo próprio Ortopedista, com orientações para, nesta sequência: procurar pela Acumpuntura para passar a dor, em seguida, fazer fisioterapia e, por fim, fazer Yoga pro resto de minha vida e Acumpuntura sempre que precisasse. E a Acumputura tirou a dor, que não me permitia nem andar, quase que imediatamente (você vai me dizer que isso é placebo? Que Placebo é este que é mais forte que o Tramal?). Eu fiz isso por dois anos e estive longe da crise lombar, até que rompi o menisco num movimento desajeitado enquanto brincava e fiquei dois meses longe do yoga. Pronto! Lombalgia aguda. Fiquei 3 dias sentindo uma dor alucinante mesmo tomando analgésicos e antiinflamatórios. Fiquei em dúvida: Acumpuntura ou Quiropraxia. Resolvi procurar a segunda, pois já tinha recebido diversas recomendações e nunca tinha ido. Cheguei lá chorando de dor, ele fez alguns testes, viu todos os exames que eu levei (Raios-X, Ressonâncias) e começou a sessão. Quando levantei da maca, aquela dor lancinante tinha sumido, sobrando apenas a dor do que já estava inflamado. A pressão tinha sumido. E quando saí de lá, chorei bastante também, mas de alívio. Você vai me dizer que é isso foi placebo? Você tem um blog, eu também tenho, há muito tempo, e tomo um cuidado enorme para não fazer julgamentos errados e prejudicar pessoas. Eu também tenho uma formação que me permitiria analisar textos científicos e fazer resenhas sobre eles. E aí!? Nós, principalmente nós, que temos contato com o mundo científico, sabemos que este mundo tem enormes qualidade, como profundas falhas. Como diz uma amiga, ela nunca consegue fazer dieta, pois um dia a gente pode comer abacate e, no outro dia, não pode mais e, depois, pode de novo. O mundo científico está em constante mutação e nem tudo conseguimos estudar. Meu pai também é Físico, meu caro, e é o meu herói; por muito tempo, acreditei que ele soubesse tudo sobre tudo no universo. Mas, assim como você, não, ele não sabe tudo. Ninguém sabe. Então, cuidado com seus julgamentos. Você pode prejudicar pessoas com eles. Meu pai foi para a faca (na coluna também) e acabou numa cadeira de rodas. Eu escolhi a Acumpuntura e a Quiropraxia e faço, hoje, posições dificílimas no Yoga. Qual caminho você conclui que foi o mais acertado, o meu ou o dele? Não digo que nunca farei cirurgia se precisar, já fiz algumas e sou nova. Partos? Prefiro normais e já os fiz também. Tudo tem lado bom e ruim. Tem pessoas qualificadas e outras nem tanto. Não julgue dessa maneira uma Classe inteira!

Anderson disse...

Leandro, preciso lhe agradecer por este post.

Em 2012 comecei a sofrer de uma dor cervical e fiz o tratamento médico, porém a dor começou a me incomodar novamente. Então me falaram sobre a Quiropraxia, li diversos relatos de sucesso na internet, assisti a vídeos no YouTube e ouvi testemunhos de amigos que já se submeteram a esse tratamento e obtiveram melhoras. Resolvi então procurar um consultório e pesquisar os preços quando me deparei com este post no resultado das minhas pesquisas, fiquei chocado ao perceber que estava prestes a procurar um tratamento sem ao menos ter me questionado uma única vez se a eficácia é comprovada.

Para corrigir meu erro li seu texto e todos os comentários de forma crítica, em seguida modifiquei os termos da minha pesquisa e encontrei algumas outras matérias alertando para o fato dessa prática ser uma pseudociência. Em poucos minutos de leitura mudei completamente minha opinião sobre a Quiropraxia.

É triste perceber que leigos - como eu - estão à mercê de uma mídia que propaga "verdades" sem comprovação, vi diversas matérias em grandes emissoras e portais na internet falando sobre a maravilha do tratamento.

De forma alguma correrei riscos pelos benefícios da manipulação da coluna.

Cinthia Lombardi Jerônimo disse...

Como alguém que se diz cientifico, não entende o que é uma subluxação? kkk E o ego do Ser ao invés de experimentar, testar e comprovar por si mesmo, não, vive numa bolha de ilusão científica! kkk Ainda bem que está ocorrendo um despertar gigantesco no Planeta e artigos fake como o seu não são mais levados a sério, as pessoas estão abrindo a mente atualmente a velocidade maior que a da Luz, ah nossa não existe velocidade maior que a da Luz, ah essa ciência primitiva não consegue comprovar! kkkkk Namastê

Anônimo disse...

Qual laboratório está te pagando em? Hahahahaha

Leandro R. Tessler disse...

Caros Cinthia e Anônimo,
Obrigado por seus comentários.
Cinthia, o conceito de subluxação não é nada científico. Defina exatamente o que é, submeta a estudos duplo cego (por exemplo, várias pessoas deveriam chegar ao mesmo diagnóstico em relação à presença e localização de subluxações em um dado indivíduo, o que não ocorre), e caso sejam realmente uma condição clínica seus efeitos sobre o organismo nunca foram estabelecidos. É exatamente por esses motivos que quiropraxia não se torna uma corrente da medicina baseada em ciência e fica relegada às práticas alternativas.
Anônimo, isso não tem a menor graça. Se você costuma trabalhar ou escrever recebendo dinheiro para defender essa ou aquela opinião isso é problema seu. Eu não funciono assim.

Sérgio disse...


As pessoas adultas que estão postando comentários neste blog já devem ter percebido, no decorrer de sua vida, que o mundo está cheio de mentirosos e charlatões tentando tirar proveito das pessoas de todas as formas possíveis. Deparamos todos os dias com essas armadilhas: pirâmides financeiras que prometem rios de dinheiro trabalhando pouco, autoridades religiosas que conversam com Deus e cremes que curam do chulé a dor de cabeça.

O que o professor está tentando alertar, é que existem práticas sem resultados comprovados que são amplamente disseminadas, levando as pessoas a perder seu tempo, dinheiro, ou até mesmo por em risco sua saúde.

É muito razoável cobrar provas mínimas de que o tratamento em questão é mais eficaz do que um efeito placebo.

As pessoas de boa fé deveriam buscar esse tipo de comprovação para a atividade que estão exercendo, de modo a garantir que estão dando uma contribuição positiva para a sociedade.
Não duvido que pessoas de bem possam realizar práticas duvidosas/danosas sem ter consciência do fato. A discussão em questão pode ser útil para os que se sentiram provocados busquem, de forma honesta, as evidências necessárias para primeiro se convencer que estão no caminho certo para em seguida utilizar estes mesmos argumentos para convencer os outros do seu ponto de vista. O debate honeste é bom para todos. Mas nesta busca pela verdade deve-se tomar cuidado com a armadilha do efeito placebo (ele deve ser superado pelo tratamento em questão).

Anônimo disse...

Cara, como discutir com quem não é da área da saúde...
Peço sinceramente que um dia você precise de um Quiropraxista ou Fisioterapeuta.
Tenho história curta a contar:
Conheci um médico quando ainda era estagiário de um hospital na minha cidade, este era um Ortopedista e abominava Fisioterapia, era cirugião e nunca indicava fisioterapia para seus pacientes no pós operátório, chacotava seus pacientes quando estes perguntavam se precisariam de algum suporte fisioterápico.
Acontece que este médico sofreu um AVE( Acidente Vascular Encefálico), fez cirurgia, ficou com várias sequelas, seu colega médico Neurologista que realizou o procedimento cirúrgico lhe indicou um fisioterapeuta especializado em Neurologia, O médico doente com dificuldade na fala exclamou: Fisioterapia Neurológica!!?? Isso existe? Seu colega médico prontamente respondeu, existe sim! Indico todos meus pacientes para fazer fisoterapia neurológica.
Doente e fragilizado o médico iniciou o trabalho com o Fisioterapeuta,com um pé atrás, mas foi, não tinha outra saída... após muito tempo de tratamento cerca de 1 ano e meio no total, o médico estava 100% novamente, atuando como médico clínico, operando e indicando TODOS seus pacientes a clínica de fisioterapia que foi construída e fundada por ele mesmo em gratidão ao tratamento recebido.
Após "abrir os olhos" para esse trabalho multidisciplinar a satisfação e recuperação do seus pacientes aumentaram sobremaneira,diminuiu prescrição de medicamentos, REDUZIU muito o índice de reincidência dos pacientes ao seu consultório. Isso aconteceu tem uns bons anos...
Há cerca de 4 anos esse médico ficou sabendo de um Fisioterapeuta/Quiroprata que tratou vários colegas seus, médicos, alguns com sérios problemas articulares, resolveu fazer uma consulta.... na primeira sessão sentiu 100% de melhora das dores, se curou literalmente de um problema crônico, depois disso o senhor médico passou a respeitar e simplesmente idolatrar os profissionais Fisioterapeutas e/ou Quiropraxistas, depois que passou a indicá-los a satisfação e melhora de seus pacientes aumentaram MUITOOO consideravelmente , os medicamentos agora são meros coadjuvantes a cirurgia só em último caso...
Prazer, sou um cara qualquer.

Leandro R. Tessler disse...

Caro Anônimo,
Obrigado por seu comentário.
Como discutir com quem não tem formação científica?
Quiropraxia não é o mesmo que fisioterapia. Quiropraxia não tem base científica e é baseada num modelo de mundo com crenças como energia vital, inteligência inata, subluxações e outros conceitos pseudo-científicos.
Não há a menor dúvida que uma massagem vigorosa pode ser prazerosa. Isso não a torna indicada para tratamentos.
Em tempo, qualquer médico responsável só deveria indicar cirurgia quando não há alternativa não invasiva.

Anônimo disse...

Se não é algo cientificamente comprovado, por que é uma prática valida e autorizada em vários países? Inclusive Estados Unidos?
Como pode um país de primeiro mundo com todo aparato jurídico e tecnológico permitir tal prática?

Maurício.

Leandro R. Tessler disse...

Caro Mauricio,
Obrigado por seu comentário. Sua pergunta faz todo sentido, e tem várias respostas possíveis.
1. Qualqur pessoa que visita uma farmácia nos EUA vai encontrar um monte de remédios e pílulas com efeito absolutamente inócuo junto com drogas com um princípio ativo confrmado cientificamente. Ou seja, comprovação científica não é um ingrdiente obrigatório para disponibilizar algo nos EUA. Ainda bem.
2. Nos EUA mais do que em qualquer outro lugar a liberdade individual é muito prezada. O papel do estado é alertá-lo para os efeitos do que você faz. Não é por outro motivo que em muitos estados é permitido andar de moto sem capacete, apesar do uso ser recomendado.
3. Houve uma tentativa ingênua de um sindicato médico de proibir a quiropraxia. Obviamente deu em nada e eles perderam um processo na justiça. O que sim há é uma recomendação sobre a eficácia duvidosa da quiropraxia em tratar do que ela se propõe.
4. Há toda uma cultura alternativa anti-científica nos EUA, especialmente depois dos anos 60.

Isso é muito diferente da cultura brasileira, onde a sociedade aceita que políticos legislem até sobre a nossa vida pessoal.

Abraço, e volte sempre.

Rafael P disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rafael P disse...

Complementando meu comentário anterior, acredito que existam muitos quiropratas que tenham fé em seu método e o aplicam não com o intuito de enganar as pessoas, embora não pareça ser o caso do que me atendeu, mas acho que a falta de alternativa para tratamento de hérnias torna a quiropraxia popular.

Anônimo disse...

Boa tarde, sou médico , ortopedista, formado em universidade federal, com residência médica em Hospital conceituado em Belo Horizonte, membro da SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia), especialista em Cirurgia de Coluna.

Queria deixar minha contribuição. Bom, o texto é antigo, mas essa discussão é sempre atual principalmente porque de tempos em tempos aparece uma nova propaganda, clínica, profissional, curso "alternativo" à medicina tradicional. Antes de qualquer coisa, quero deixar claro que não me oponho a qualquer tratamento, simpatia, reza, crença ou o que quer que seja que o paciente se submeta desde que não abandone o tratamento médico proposto ou que interfira na sua recuperação.

O grande motivador e pilar de sustentação de terapias alternativas é EXATAMENTE a falta de evidências e critérios de mensuração. Tratar de causas metafísicas, intangíveis, subjetivos se torna extremamente confortável para o profissional. Relatos anedóticos (experiências pessoais isoladas sem metodologia científica) são a base e guia destes profissionais.

Uma dor crônica, incurável, com pouca opção de tratamento, incapacita, física e psicologicamente. Afeta trabalho, relacionamento, vida social e até impacta na saúde do paciente. Mas dor é uma experiência subjetiva e pessoal. É difícil até mesmo em ensaios randomizados mensurar um quadro álgico. Não há um aparelho, ferramenta ou mesmo uma escala de dor precisa. Há influência do ambiente, da percepção de cada um, da experiência de vida, traumas, influência familiar, ganhos secundários, fatores psicogênicos, uma infinidade de variáveis para uma manifestação de dor. Há, inclusive dores, sem substrato clínico/orgânico. Portanto, para uma entidade de causas multifatoriais, ao estudar suas consequências é preciso levar em conta o caráter subjetivo da dor.
Quem não conhece pessoas com resistência alta a dor? Que suportam cortes, fraturas, cólicas? Outras que ao menor sinal de uma gripe, desabam? Que sofrem com frequentes cefaléias, internações, vivem usando analgésicos? Além, é claro de cada pessoa ter uma história de saúde distinta, há diferenças na própria percepção da dor. Esses mecanismos encontram embasamento biológico nas vias neurais inibitórias ativadas por neurotransmissores que podem ser liberados via SNC ao serem estimulados. Esses estímulos podem ser gerados de diversas maneiras: drogas (lícitas ou não) atividades prazerosas ou confortantes (uma conversa, um filme, etc), substâncias com mecanismo de recompensa no centro do prazer como chocolates, sexo, música, etc etc etc. Alguns desses estímulos podem ser químicos, outros apenas com componente psíquico (quem nunca ofereceu um copo dágua a alguém nervoso ou recebeu um beijinho da mãe no machucado?)

Anônimo disse...

(continuação)O fato é que nosso cérebro é capaz de ativar vias inibitórias de neurônicos nocicecptivos (os que informam dor) de forma "remota": apenas com estímulos indiretos, sem uso de medicamentos. Esse fenômeno é chamdo de efeito placebo.

Para o leigo, não familiarizado com pesquisa científica, pode achar que o Efeito Placebo é mentira. Quando ouvimos essa palavra, automaticamente associamos a algo que não tem efeito nenhum. Na verdade, em pesquisa médica é EXATAMENTE O CONTRÁRIO. O placebo tem efeito sim. Exatamente aquele efeito de origem "remota" que eu citei anteriormente. Tanto é que um medicamento, seja ele qual for, para ser liberado para uso, precisa ter efeito SUPERIOR ao placebo em estudos clínicos.

Efeito placebo, portanto, de fato, pode melhorar a percepção subjetiva de alguma enfermidade, NOTADAMENTE, as de caráter não-mensuráveis ou de forte caráter psicogênico: dor, ansiedade, angústia, tristeza, desânimo, mal estar, alergias (a ligação entre o sistema límbico responsável pelas emoções e o sistema imune é IMENSA, tem a mesma origem embironária)... E isso vale para qualquer terapia alternativa!

Não quero aqui dizer que terapias alternativas não funcionam. É exatamente o oposto. Elas possuem, sim, sua utilidade. Escutamos diariamente relatos anedóticos de pessoas com melhora de seus quadros. Ninguém quer dizer o contrário. O que é preciso é definir parâmetros e critérios. Colocar cada coisa em seu devido lugar. Definir níveis de alcance, limites para estes tratamentos. Usá-los como complementares, como formas adjuvantes de tratamento, nunca como única escolha, principalmente em doenças graves, incapacitantes ou com boas possibilidades de controle ou mesmo cura. Precisamos informar melhor as pessoas. As propagandas de terapias alternativas são sempre muito sedutoras, com argumentos muitas vezes verdadeiros, mas que não se relacionam com o caso em questão. Prometem muito, abrangem muitos problemas para atingir o maior número possível de pessoas e sempre usam de estratégias "conspiracionistas" para vender o produto.

Alijar um paciente de um tratamento superior deveria ser crime, assim como prometer tratamento para TUDO indistintamente. Não existe medicamento "para tudo", já que cada doença tem causas distintas e merecem cuidados e tratamentos específicos.

Leandro R. Tessler disse...

Segue um comentário anônimo que eu recusei sem querer.
Desculpe senhor Anônimo!

Deixo minha mensagem como paciente,me submeti ao tratamento,ou seja, uma manipulação da coluna envolvendo a região torácica e cervical com um fisioterapeuta.
Estava apresentando na ocasião o peito carregado e a garganta em processo de inflamação,havia tido uma queda imunológica por excesso de exercícios,e por não ter o hábito de me alongar devidamente,contraí muito a musculatura,o que resultou em uma dor no músculo do pescoço,algo relacionado aos escalenos,pois bem,depois da manipulação minhas coluna começou com muitos estalos e clics e clacs,alem de impressão de areia,mais precisamente na região que o fisioterapeuta manipulara.
Estou me tratando de forma natural,Graças a Deus não tenho dores,e os estalos melhoraram bastante,pois estou fazendo uso de alimentos e recursos naturais que beneficiam a coluna com um todo,como o colágeno natural preparado com pés de galinha,cloreto de magnésio,entre outras coisas.
Certamente este ocorrido se deu por conta de fatores como falta de alongamento e excesso de exercícios,mas eu não apresentava estes estalos antes de passar pela manipulação,portanto eu não a recomendo a ninguém.

Dr. Juliano Angeli Romani disse...

Não precisa procurar somente um graduado dá Anhembi ou Feevale, mas também um Fisioterapeuta Especializado em Quiropraxia.
Será bem vindo também para maiores esclarecimentos.

Anônimo disse...

O Blog é sobre cultura científica, mas to vendo pouca ciência nisso, pouca referência. Sugiro ler mais sobre quiropraxia, não apenas aquilo que lhe convém. Quebrar paradigmas faz parte até mesmo para os mais renomados e titulares doutores.

Ah! E claro que eu faria um ajuste quiroprático porque eu sei na prática que alivia as minhas dores lombares...

Anônimo disse...

Sou Especilista em Controladoria e Finanças, vou escrever sobre Fisica, Magnetismo, partículas, teoria espaço-tempo, etc..
Prezado Leandro, observou como falta-me muito para discorrer sobre estes assuntos
Mesmo que eu leia muito da cultura cientifica, a respeito dos assuntos citados, citando as fontes, não me é autorizado, pela lógica e bom senso, teorizar ou articular sobre assuntos fora da minha área de formação e especializaçao.
Sugiro a você que discorra, em seus artigos opinativos, adduntos relacionados à sua área de conhecimento. O que suponho seja vasta, interessante, podendo contribuir para o progresso da humanidade.
Abraço
Hilton Chesini, Novo Hamburgo RS

Leandro R. Tessler disse...

Caro Hilton,
Obrigado pelo comentário.
Só para esclarecer, sou cientista de formação, com mais de 30 anos de experiência.
Eu jamais escreveria sobre Controladoria ou Finanças, que são áreas do conhecimento que merecem todo respeito mas que não são científicas. Por outro lado, sinto-me plenamente capacitado para escrever sobre ciência e uso do método científico.
Grande abraço

Creative Commons License
Os direitos de reprodução de Cultura Científica são regulados por uma Licença Creative Commons.